Wikipédia

Wikipédia
White sphere made of large jigsaw pieces. Letters from many alphabets are shown on the pieces
Wikipedia wordmark
Logotipo da Wikipédia, um globo com glifos de vários sistemas de escritas
WikipédiaCaptura de tela do portal multilíngue da Wikipédia
Slogan A enciclopédia livre
Proprietário(s) Fundação Wikimedia
Requer pagamento? não
Gênero Enciclopédia online
Cadastro opcional e gratuito
Idioma(s) 342
Lançamento 15 de janeiro de 2001 (23 anos)
Desenvolvedor Jimmy Wales
Larry Sanger
Endereço eletrônico wikipedia.org

A Wikipédia é um projeto de enciclopédia multilíngue de licença livre, baseado na web e escrito de maneira colaborativa. Foi lançado em 2001 por Jimmy Wales e Larry Sanger e é atualmente administrado pela Fundação Wikimedia (organização sem fins lucrativos que engaja pessoas para desenvolver conteúdo educacional sob uma licença livre ou no domínio público e para disseminá-lo globalmente), integrando vários projetos mantidos pela fundação. É formada por mais de 61 milhões de artigos (1 125 198 em português, até 20 de maio de 2024) escritos de forma conjunta por diversos editores voluntários ao redor do mundo. Em maio de 2023, havia edições ativas da Wikipédia em 321 idiomas.

Quase todos os verbetes presentes no sítio eletrônico podem igualmente ser editados por qualquer pessoa com acesso à internet e que possua um endereço eletrônico. Esta enciclopédia tornou-se a maior e mais popular obra de referência geral na internet. Em 2010, tinha cerca de 365 milhões de leitores. A Wikipédia é uma ferramenta de pesquisa amplamente utilizada por estudantes e tem influenciado o trabalho de publicitários, pedagogos, sociólogos e jornalistas, que usam seu material, mesmo que nem sempre citem suas fontes.

A Wikipédia afasta-se do estilo tradicional de construção de uma enciclopédia, possuindo uma grande presença de conteúdo não acadêmico. Quando a revista Time reconheceu "Você" como a Pessoa do Ano de 2006, devido ao sucesso acelerado da colaboração online e da interação de milhões de usuários ao redor do mundo, citou a Wikipédia como um dos vários exemplos de serviços da Web 2.0, juntamente com YouTube, Myspace e Facebook. A importância da Wikipédia tem sido notada não apenas como uma referência enciclopédica, mas também como um recurso de notícias atualizado com frequência, por conta da rapidez com que artigos sobre acontecimentos recentes aparecem. Estudantes têm sido orientados a escrever artigos para a Wikipédia como um exercício de explicar de forma clara e sucinta conceitos difíceis para um público não iniciado.

Embora as políticas da Wikipédia defendam fortemente a verificabilidade e um ponto de vista neutro, seus críticos acusam-na de viés sistêmico e inconsistências (incluindo o peso excessivo dado à cultura de massa) e alegam que ela favorece o consenso sobre credenciais em seus processos editoriais. Sua confiabilidade e precisão também são alvo de críticas. Outras críticas apontam a sua suscetibilidade ao vandalismo e à adição de informações falsas ou não verificadas. No entanto, trabalhos acadêmicos sugerem que os vandalismos são geralmente de curta duração. Uma pesquisa de 2005 na revista Nature mostrou que os artigos científicos que eles compararam chegavam perto do nível de precisão da Encyclopædia Britannica e tinham uma taxa semelhante de "erros graves". Outra pesquisa de 2011 realizada pelo ForeSee Results e divulgada pela CNET mostrou que, em uma escala de satisfação de 0 a 100, os internautas atribuíram 78 pontos à Wikipédia, um resultado maior que o de outros sites consagrados, como YouTube e Facebook.

Etimologia

O nome Wikipedia foi criado pelo filósofo norte-americano Larry Sanger, e é uma combinação do termo havaiano "wikiwiki" que significa "rápido" ou "rapidamente" com o sufixo da palavra "enciclopédia". A palavra "Wikipédia" é uma adequação lusófona da forma original anglófona sobre a fusão dos dois nomes que formam o termo, que em português, o prefixo "Wiki" é somado ao sufixo de "enciclopédia", ganhando acento diacrítico agudo na letra e, para atender à gramática lusófona.

O termo "enciclopédia" vem do grego "enkyklios paideia" (ἐνκύκλιος παιδεία), que significa “conhecimento completo” ou “educação geral”; uma obra de referência organizada em artigos/verbetes, que no Século XVI evoluíram a partir de dicionários.

História

A Wikipédia foi originada do projeto Nupedia.

A Wikipédia começou como um projeto complementar para a Nupedia, um projeto de enciclopédia online gratuita de língua inglesa, cujos artigos eram escritos por especialistas e revistos em um processo formal. A Nupedia foi fundada em 9 de março de 2000, sob a posse da Bomis, uma empresa de portal web. Suas principais figuras eram Jimmy Wales, CEO da Bomis, e Larry Sanger, editor-chefe da Nupedia e posteriormente da Wikipédia. A Nupedia foi licenciada inicialmente sob sua própria licença de conteúdo aberto, a mudança para a GNU Free Documentation License aconteceu antes da fundação da Wikipédia, a pedido de Richard Stallman.

Página inicial da Wikipédia em 2001 Página inicial da Wikipédia em português em 2003.

Larry Sanger e Jimmy Wales fundaram a Wikipédia. Embora Wales seja creditado por definir o objetivo de fazer uma enciclopédia editável publicamente, Sanger é geralmente creditado pela estratégia de usar um wiki para alcançar esse objetivo. Em 10 de janeiro de 2001, Larry Sanger propôs na lista de discussão da Nupedia a criação de um wiki como um projeto "alimentador" para a Nupedia.

A Wikipédia foi formalmente lançada em 15 de janeiro de 2001, como uma única edição em inglês em www.wikipedia.com e anunciada por Sanger na lista de discussão da Nupedia. A política do "ponto de vista neutro" da Wikipédia" foi codificada em seus meses iniciais e era semelhante à política anterior da Nupedia de "não-parcialidade". Por outro lado, inicialmente havia relativamente poucas regras e a Wikipédia operava independentemente da Nupedia.

A Wikipédia ganhou os primeiros colaboradores da Nupedia, de postagens no Slashdot e indexação do motor de busca na web. Até o final de 2001, o site já havia crescido para cerca de 20 000 artigos em 18 idiomas. No final de 2002, tinha alcançado 26 edições em idiomas diferentes, 46 até o final de 2003 e 161 nos últimos dias de 2004. A Nupedia e a Wikipédia coexistiram até os servidores da primeira serem retirados de forma permanente em 2003 e seu texto incorporado na Wikipédia. A Wikipédia em inglês passou a marca dos dois milhões de artigos em 9 de setembro de 2007, tornando-a a maior enciclopédia já construída, superando até mesmo a Enciclopédia Yung-lo Ta-tien (1407), que detinha esse recorde desde há exatamente 600 anos.

Citando temores de publicidade comercial ser inserida no site e a falta de controle numa Wikipédia que viam como sendo anglo-cêntrica, usuários da Wikipédia em espanhol criaram uma versão independente da Wikipédia em fevereiro de 2002, a Enciclopedia Libre. Mais tarde naquele ano, Wales anunciou que a Wikipédia não iria exibir anúncios publicitários e seu site foi movido para wikipedia.org.

Vários outros projetos de wiki-enciclopédias foram iniciados, em grande parte sob uma filosofia diferente do modelo editorial aberto e baseado no chamado "princípio da imparcialidade" da Wikipédia. O Wikinfo, por exemplo, não requer um ponto de vista neutro e permite pesquisas originais. Novos projetos inspirados na Wikipédia — como o Citizendium, Scholarpedia, Conservapedia e o Knol, da Google, onde os artigos são um pouco mais ensaísticos — foram iniciados para tratar de limitações de percepção da Wikipédia, como suas políticas sobre revisão por pares, pesquisa original e publicidade comercial.

Embora a Wikipédia em inglês tenha chegado aos três milhões de artigos em agosto de 2009, o crescimento de edições, em termos de números de artigos e de colaboradores, parece ter estabilizado em torno do início de 2007. Em 2006, cerca de 1 800 artigos foram adicionados diariamente à enciclopédia; até 2010 essa média era de cerca de 1 000. A equipe do Palo Alto Research Center especulou que isso se deve ao aumento da exclusividade do projeto.

Editores novos ou ocasionais têm taxas significativamente mais altas de suas edições revertidas (removidas) do que um grupo de elite de editores regulares, coloquialmente conhecido como a "panela". Isso poderá estar a tornar mais difícil para o projeto recrutar e reter novos colaboradores a longo prazo, resultando na estagnação da criação de novos artigos. Outros sugerem que o crescimento está a nivelar naturalmente, pois os artigos mais básicos já existem.

Protesto da Wikipédia contra o SOPA em 2012.

Em novembro de 2009, uma tese de doutorado escrita por Felipe Ortega, um pesquisador da Universidade Rey Juan Carlos em Madrid, revelou que a Wikipédia em inglês havia perdido 49 000 editores nos primeiros três meses de 2009, enquanto que durante o mesmo período em 2008 o mesmo projeto perdeu apenas 4 900 editores.

O The Wall Street Journal relatou que "um número sem precedentes de milhões de voluntários online que escrevem, editam e policiam a Wikipédia está desistindo". Entre as razões citadas no artigo para esta tendência encontram-se a matriz de regras aplicadas à edição e disputas relacionadas a tais conteúdos. Estas alegações foram contestadas por Jimmy Wales, que negou o declínio e questionou a metodologia do estudo.

Em janeiro de 2007, a Wikipédia entrou na lista dos dez sites mais populares nos Estados Unidos, segundo a comScore Networks Inc. Com 42,9 milhões de visitantes únicos e o nono lugar, a Wikipédia superou os sites do The New York Times (10.º) e Apple Inc. (11.º). Foi um aumento significativo em relação a janeiro de 2006, quando o site estava posicionado no 33.º lugar, com apenas 18,3 milhões de visitantes únicos. Em abril de 2011, a Wikipédia foi listada como o quinto site mais popular do mundo pela Google Inc.

Características

Edição

Em abril de 2009, a Fundação Wikimedia conduziu um estudo de usabilidade da Wikipédia, questionando os usuários sobre o mecanismo de edição.

Afastando-se do estilo das enciclopédias tradicionais, a Wikipédia emprega um sistema aberto, um modelo de edição "wiki". Exceto por algumas páginas particularmente propensas ao vandalismo, cada artigo pode ser editado de forma anônima ou com uma conta de usuário. Edições em diferentes idiomas modificam esta política, por exemplo, na edição em inglês apenas os utilizadores registados podem criar um novo artigo. Nenhum artigo ou o seu conteúdo é propriedade do seu criador ou de qualquer outro editor, ou é avaliado por qualquer autoridade reconhecida; ao contrário, os conteúdos são acordados por consenso. Por padrão, qualquer edição em um artigo se torna disponível imediatamente, antes de qualquer revisão. Isto significa que um artigo pode conter erros, contribuições equivocadas, defesa de algo, ou mesmo absurdos evidentes, até que outro editor corrija o problema. Edições em diferentes idiomas, cada uma sob controle administrativo separado, são livres para modificar esta política. Por exemplo, a Wikipédia em alemão mantém um sistema de "versões estáveis" de artigos, para permitir que um leitor veja as versões dos artigos que passaram por certas revisões.

Em junho de 2010, os administradores anunciaram que a Wikipédia em inglês eliminaria as restrições de edição estritas de artigos "controversos" ou propensos a vandalismo (como George W. Bush, David Cameron, ou lição de casa) usando revisões. No lugar de proibir edições de usuários novos ou não registrados, haveria um "novo sistema, chamado de 'alterações pendentes'" que, como Jimmy Wales disse à BBC, permitiria à Wikipédia em inglês "liberar os artigos que foram protegidos ou semiprotegidos por anos para a edição geral". O sistema de "alterações pendentes" foi introduzido em 15 de junho de 2010, pouco depois das 23 horas no Tempo Médio de Greenwich (GMT). Edições em artigos especificados são agora "sujeitas a revisão de um editor estabelecido da Wikipédia antes da publicação". Wales opôs-se ao modelo da Wikipédia em alemão de exigir revisão do editor antes de edições em qualquer artigo, descrevendo-o como "desnecessário e indesejável". Ele acrescentou que os administradores da Wikipédia em alemão irão "acompanhar de perto o sistema da versão inglesa e tenho certeza que eles vão, pelo menos, considerar a mudança se os resultados forem bons".

Editores podem acompanhar as mudanças nos artigos marcando a diferença entre duas revisões de uma página, mostrada aqui em vermelho A interface de edição da Wikipédia

Contribuintes, registrados ou não, podem tirar proveito dos recursos disponíveis no software que opera a Wikipédia. A página "Ver histórico" que acompanha cada artigo, regista toda e qualquer versão anterior do verbete, embora uma revisão com conteúdo calunioso, ameaças criminosas ou violações de direitos autorais possam ser removidas mais tarde. Esta característica torna mais fácil comparar antigas e novas versões do artigo, desfazer alterações que um editor considera indesejáveis, ou restaurar um conteúdo perdido. A página "Discussão", associada a cada artigo, é utilizada para coordenar o trabalho entre vários editores. Editores regulares muitas vezes mantêm uma lista de "páginas vigiadas" de artigos de interesse para eles, de modo que eles podem facilmente manter o controle sobre todas as alterações recentes nessas páginas. Programas de computador chamados "robôs" têm sido amplamente utilizados para remover vandalismos logo que eles são feitos, para corrigir erros comuns e questões estilísticas, ou para iniciar artigos, tais como entradas de geografia em um formato padronizado a partir de dados estatísticos.

Os artigos da Wikipédia estão organizados basicamente de três formas de acordo com: estado de desenvolvimento, o assunto e o nível de acesso necessário para edição. O estado mais desenvolvido de artigos é chamado de "artigos destacados" (AD): artigos classificados como tal são os que serão apresentados na página principal da Wikipédia. O pesquisador Giacomo Poderi descobriu que os artigos tendem a atingir o estatuto de AD através do trabalho intensivo de poucos editores.

Um "wikiprojeto", ou simplesmente "projeto", é um lugar ou conjunto de páginas usadas por um grupo de editores para coordenar o trabalho sobre um tópico específico. As páginas de discussão anexadas a um projeto são muitas vezes usadas para coordenar as mudanças que ocorrem nos artigos relacionados com o projeto. A Wikipédia também mantém um manual de estilo chamado de "livro de estilo" (LE) para padronizações editoriais acerca dos títulos e organização dos artigos, da formatação e uso de recursos multimídias.

Políticas que regem o conteúdo

Mídia externa
Imagens
Vídeos
Wikimania, 60 Minutes, CBS, 20 minutos, 5 de abril de 2015, co-fundador Jimmy Wales no Fosdem

Por razões legais, o conteúdo na Wikipédia está sujeito às leis (lei de direitos autorais em particular) da Flórida, onde os servidores da Wikipédia estão hospedados. Além disso, os princípios editoriais da Wikipédia são dispostos nos chamados "cinco pilares" e em numerosas políticas e diretrizes que destinam-se a moldar o conteúdo de forma adequada. Até mesmo essas regras são armazenadas em forma de wiki e os editores da Wikipédia, como uma comunidade, podem escrever e revisar as políticas e diretrizes e aplicá-las por exclusão, marcando com etiquetas (tags), ou modificando o conteúdo dos artigos para deixá-los de acordo com tais regulamentações.

De acordo com as regras da Wikipédia, só os temas considerados "enciclopédicos" são dignos de ter verbete na Wikipédia, e esse verbete não deve ser redigido como um verbete de dicionário. Os temas dos artigos devem também atender aos padrões de "notoriedade" da Wikipédia, o que normalmente significa que ele deve ter recebido uma cobertura significativa em fontes secundárias confiáveis, tais como a mídia ou grandes revistas acadêmicas que são independentes do assunto do tópico. Além disso, a Wikipédia deve expor o conhecimento que já está estabelecido e reconhecido. Em outras palavras, não deve apresentar, por exemplo, novas informações ou obras originais. Uma alegação que é suscetível de ser questionada requer pelo menos uma referência a uma fonte confiável. Entre os editores da Wikipédia, isto é frequentemente descrito como "comprovação, não a verdade", para expressar a ideia de que os leitores, e não a enciclopédia, são responsáveis por verificar a veracidade dos artigos e fazer as suas próprias interpretações. Finalmente, a Wikipédia não deve tomar partido. Todas as opiniões e pontos de vista, se imputáveis a fontes externas, deverão ser adequadamente cobertos pelo texto do artigo.

A Wikipédia tem muitos métodos de resolução de litígios. O ciclo "seja audaz, reverta, discuta" ocorre algumas vezes, quando um usuário faz uma edição, outro usuário reverte essa edição e o assunto é discutido na página de discussão apropriada. Com o fim de obter um consenso mais amplo da comunidade, as questões podem ser levantadas na "Esplanada" ou nos "Pedidos de opinião", locais em que é solicitada a participação de outros usuários na discussão. Existem fóruns especializados que centralizam as discussões de decisões específicas, como por exemplo, se um artigo deve ou não ser eliminado. A mediação é por vezes utilizada, embora tenha sido considerada por alguns wikipedistas inútil na resolução de disputas particularmente controversas. Análises estatísticas sugerem que a resolução de disputas na Wikipédia ignora o conteúdo das disputas de usuários e centra-se, ao invés disso, na conduta do usuário, funcionando não tanto para resolver disputas e promover a paz entre os usuários conflitantes, mas para eliminar usuários problemáticos enquanto os usuários potencialmente produtivos voltam a participar. Suas soluções incluem o banimento de usuários da Wikipédia (usado em 15,7% dos casos), soluções em relação ao assunto (23,4%), bloqueio de artigos (43,3%) e avisos e penalidades (63,2%). Entretanto, nem todas as versões da Wikipédia possuem um ArbCom, sendo esta uma ferramenta opcional. Proibições totais de edição na Wikipédia são em grande parte limitadas aos casos de personificação falsa e comportamento antissocial. Tendem a ser emitidos mais avisos para problemas na conduta de edição e condutas anticonsenso do que para condutas antissociais.

Licenciamento de conteúdo

Todo o texto contido na Wikipédia era coberto pela GNU Free Documentation License (GFDL), uma licença copyleft que permite a redistribuição, a criação de obras derivadas e o uso comercial do conteúdo preservando os direitos autorais dos autores, até junho de 2009, quando foi adotada a licença Creative Commons Attribution-ShareAlike (CC-BY-SA) 3.0. A Wikipédia tem trabalhado na mudança para as Licenças Creative Commons porque a GFDL, inicialmente projetada para manuais de software, não foi considerada adequada para obras de referência online e porque as duas licenças eram incompatíveis. Em resposta ao pedido da Fundação Wikimedia, em novembro de 2008, a Free Software Foundation (FSF) lançou uma nova versão da GFDL concebida especificamente para permitir à Wikipédia relicenciar seu conteúdo para CC-BY-SA em 1 de agosto de 2009. A Wikipédia e seus projetos irmãos realizaram um referendo em toda a comunidade para decidir se devia ou não fazer a troca da licença. O referendo ocorreu entre 9 e 30 de abril. Os resultados foram 75,8% "sim", 10,5% "não" e 13,7% "sem opinião". Em consequência do referendo, o Conselho Diretivo da Wikimedia votou para mudar para a licença Creative Commons. A mudança foi efetivada em 15 de junho de 2009. A posição de que a Wikipédia é apenas um serviço de hospedagem tem sido utilizada com sucesso como uma defesa em tribunal.

A utilização de arquivos de mídia (por exemplo, arquivos de imagem) varia entre as várias edições em diferentes idiomas. Algumas edições da Wikipédia, como a Wikipédia em inglês, incluem arquivos de imagem não livres sob a doutrina do fair use (em português: uso justo), enquanto outras optaram por não o fazer, em parte, por causa das diferenças nas leis de direitos autorais dos vários países — por exemplo, a noção de fair use não existe na lei de direitos autorais japonesa. Arquivos de mídia cobertos por licenças de conteúdo livre (por exemplo, CC-BY-SA) são compartilhados entre as diferentes edições da Wikipédia através do repositório Wikimedia Commons, um projeto também operado pela Fundação Wikimedia.

Acesso ao conteúdo

Como o conteúdo da Wikipédia é distribuído sob uma licença aberta, qualquer um pode reutilizar ou redistribuí-lo sem nenhum custo. O conteúdo da Wikipédia é publicado fora do site Wikipédia em muitas formas, tanto online como offline:

Obter o conteúdo completo da Wikipédia para reutilização apresenta desafios, uma vez que a cópia direta através de um rastreador web é desencorajada. A Wikipédia publica "dumps" de seu conteúdo, mas estes consistem apenas de texto; em 2007 não havia dumps disponíveis de imagens da Wikipédia.

Cobertura de temas

Gráfico de pizza do conteúdo da Wikipédia por assunto em janeiro de 2008. A Wikipédia comprime as informações em uma variedade de tópicos, incluindo terremotos, por exemplo. Na foto, o artigo do Sismo de Pichilemu de 2010 da Wikipédia em inglês.

A Wikipédia pretende criar um resumo de todo o conhecimento humano na forma de uma enciclopédia online, com cada tópico do conhecimento coberto enciclopedicamente por um artigo. Uma vez que tem espaço em disco praticamente ilimitado, o site pode conter muito mais temas do que podem ser cobertos por qualquer enciclopédia impressa convencional. Além disso, contém materiais que algumas pessoas podem achar censuráveis, ofensivos ou pornográficos. Foi esclarecido que esta política não está em debate, mas ela tem-se revelado controversa. Por exemplo, em 2008, a Wikipédia rejeitou uma petição online contra a inclusão de representações de Maomé em sua edição em inglês, citando esta política. A presença de materiais politicamente sensíveis na Wikipédia também levou a República Popular da China a bloquear o acesso a partes do site.

Em setembro de 2009, os artigos da Wikipédia cobriam cerca de meio milhão de lugares na Terra. No entanto, uma pesquisa realizada pelo Oxford Internet Institute mostrou que a distribuição geográfica dos artigos de todas as versões da Wikipédia é muito desigual. A maioria dos artigos são escritos sobre a América do Norte, Europa e Ásia Oriental, com muito pouca cobertura de grandes partes do mundo em desenvolvimento, incluindo a maior parte da África.

Um estudo de 2008 conduzido por pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon e do Palo Alto Research Center apresentou uma distribuição de temas, bem como o crescimento (de julho de 2006 a janeiro de 2008) em cada campo relativos à Wikipédia em inglês:

No entanto, deve-se considerar que estes números dizem apenas respeito aos artigos, é possível que um tópico contenha uma série de artigos curtos e outro artigos muito grandes. Além disso, a cobertura exata da Wikipédia está sob constante revisão pelos editores e desacordos não são incomuns (ver também delecionismo e inclusionismo).

Comunidade

Wikimania, uma conferência anual de usuários da Wikipédia e outros projetos operados pela Wikimedia Foundation.

A comunidade da Wikipédia tem sido descrita como "cult" (embora nem sempre com uma conotação totalmente negativa), e criticada por não acomodar os usuários inexperientes.

Estrutura de poder

A comunidade da Wikipédia estabeleceu "uma espécie de burocracia", incluindo "uma clara estrutura de poder que dá aos administradores voluntários a autoridade para exercer o controle editorial". Editores com boa reputação na comunidade podem ser nomeados para um dos vários níveis de gestão de voluntários, como os autorrevisores (cujas edições são marcadas automaticamente como confiáveis), reversores (para os quais são simplificadas as ações que desfazem edições), eliminadores (que podem eliminar páginas) e administradores (englobando todos os outros, além de poderem bloquear alterações em artigos em caso de vandalismo ou de disputas editoriais e bloquear contas de usuários). Apesar do nome, os administradores não desfrutam de qualquer privilégio especial na tomada de decisões; em vez disso eles limitam-se, na sua maioria, a fazer edições que têm efeitos em todo o projeto e que, portanto, não são permitidas aos editores comuns, e a impedir usuários de fazerem edições disruptivas (como o vandalismo). Páginas e verbetes podem ser apagados por usuários que possuem os cargos de eliminador ou administrador, através de votações ou por eliminação rápida, quando descumprem alguma política do site. Burocratas e verificadores são dois outros cargos que podem ser atribuídos a editores.

Colaboradores Demografia dos editores da Wikipédia (em inglês).

A Wikipédia não exige que seus usuários forneçam a sua identificação. No entanto, como a Wikipédia cresce através do seu modelo não convencional de construção de enciclopédia, "Quem escreve a Wikipédia?" tornou-se uma das perguntas mais frequentes sobre o projeto, muitas vezes com uma referência para outros projetos de Web 2.0 como o Digg. Jimmy Wales afirmou certa vez que apenas "uma comunidade... um grupo dedicado de algumas centenas de voluntários" faz a maior parte das contribuições para a Wikipédia e que o projeto é, portanto, "como qualquer organização tradicional". Wales realizou um estudo onde constatou que mais de 50% de todas as edições são feitas por apenas 0,7% dos usuários (ou seja, 524 pessoas em 2006, ano da pesquisa). Este método de avaliação de contribuições foi posteriormente contestada por Aaron Swartz, que observou que vários artigos de uma amostragem que efetuou tinham grande parte do seu conteúdo (medida pelo número de caracteres) contribuído por usuários com baixas contagens de edições. Um estudo de 2007 realizado por pesquisadores da Faculdade de Dartmouth descobriu que "colaboradores anônimos e pouco frequentes na Wikipédia são confiáveis e uma fonte de conhecimento tanto quanto os contribuintes que se inscrevem no site". Embora alguns contribuintes sejam autoridades em suas áreas, a Wikipédia exige que mesmo os seus contributos sejam apoiados por publicações e fontes verificáveis. A preferência do projeto pelo consenso sobre credenciais foi rotulada como "anti-elitismo".

Gráfico histórico do número de wikipedistas considerados ativos pela Fundação Wikimedia.

Em um estudo de 2003 sobre a comunidade da Wikipédia, a doutoranda em economia Andrea Ciffolilli argumentou que os baixos custos de transação de participar de software wiki criaram um catalisador para o desenvolvimento colaborativo e que uma abordagem de "construção criativa" incentiva a participação. Em seu livro de 2008, O Futuro da Internet e Como Pará-lo, Jonathan Zittrain, do Oxford Internet Institute e do Berkman Center for Internet & Society, pertencente à Harvard Law School, cita o sucesso da Wikipédia como um caso de como a colaboração aberta tem fomentado a inovação na web. Um estudo de 2008 revelou que usuários da Wikipédia eram menos agradáveis e abertos, embora mais conscientes, que os não-usuários da Wikipédia. Um estudo de 2009 sugeriu que havia "indícios de uma crescente resistência da comunidade da Wikipédia a novos conteúdos".

Na OOPSLA de 2009, o CTO da Wikimedia Brion Vibber fez uma apresentação intitulada "Otimização de Desempenho da Comunidade: Fazendo a sua Equipe Funcionar Tão Bem Quanto o Seu Site" em que discutiu os desafios de lidar com as contribuições de uma grande comunidade e comparou o processo com o de desenvolvimento de softwares.

O The New York Times publicou uma coluna com uma pesquisa sobre a Wikipédia no momento do seu décimo aniversário citando que "a Wikimedia Foundation colaborou em um estudo da base contribuinte da Wikipédia e descobriu que ela era composta por apenas 13% de mulheres e a média de idade de um contribuinte estava entre os 20 e 30 anos, de acordo com o estudo conjunto de um centro da Universidade das Nações Unidas e da Universidade de Maastricht", e também observa que "as pesquisas sugerem que menos de 15% de suas centenas de milhares de colaboradores são mulheres". A meta estabelecida por Sue Gardner, diretora executiva da Fundação Wikimedia, é ver as contribuições femininas aumentarem para 25% até 2015.

Interações Wikipedistas e curadores do Museu Britânico colaborando no artigo Hoxne Hoard (Wikipédia em inglês) em junho de 2010.

Membros da comunidade predominantemente interagem uns com os outros através das páginas de "discussão", que são páginas wiki-editáveis que estão associadas com os artigos, bem como através de páginas de discussão que são específicas para editores em particular e páginas de discussão que ajudam a gerir o site. Essas páginas ajudam os contribuintes a chegarem a um consenso sobre o que o conteúdo dos artigos deve constar, sobre quais regras do site podem mudar e tomar medidas com relação a qualquer problema dentro da comunidade. A Esplanada é o principal local de interação entre os usuários após as páginas de discussão; nela é possível fazer anúncios, perguntas e propostas de alterações nas políticas do projeto. Os wikipedistas recebem, por vezes, prêmios ou medalhas por seu bom trabalho, uma espécie de reforço positivo na forma de fichas personalizadas de apreço. Estas fichas revelam uma ampla gama de trabalho valorizado, indo muito além de simples edições para incluir suporte social, ações administrativas e os tipos de trabalho de articulação. O fenômeno de medalhas foi analisado por pesquisadores que procuram determinar como isso poderia ter implicações em outras comunidades envolvidas em contribuições de larga escala.

Novos usuários

60% dos usuários registrados nunca fazem outra edição após as suas primeiras 24 horas. Possíveis explicações para esse fenômeno são que tais usuários só se inscrevem para uma única finalidade ou são assustados por suas experiências. Goldman escreve que os editores que não cumprem os rituais culturais da Wikipédia, como a assinatura de páginas de discussão, implicitamente dão sinais de que eles são estranhos na comunidade, aumentando as chances de que usuários experientes da Wikipédia tenham como alvo as suas contribuições. Tornar-se um editor experiente da Wikipédia envolve desafios não triviais: o contribuinte deverá construir uma página de usuário, aprender os códigos tecnológicos específicos da Wikipédia, submeter-se a um processo misterioso de resolução de disputas e aprender uma cultura "desconcertantemente rica em piadas internas e referências privilegiadas". Usuários não registrados são, em algum sentido, cidadãos de segunda classe na Wikipédia, visto que os "participantes são credenciados por membros da comunidade wiki, que têm interesse em preservar a qualidade do produto do trabalho, com base em sua participação em curso".

Um estudo de 2009 realizado por Henry Blodget mostrou que uma amostra aleatória de grandes artigos na Wikipédia (medido pela quantidade de texto que sobreviveu na última edição da amostra) foi criada por novatos ou anônimos (usuários com baixas contagens de edições), enquanto a maioria da edição e formatação é feita por usuários experientes (um grupo selecionado de usuários estabelecidos).

Idiomas

Estimativas de usuários por região nas diferentes versões da Wikipédia

Em maio de 2023 havia 321 versões ativas da Wikipédia em diferentes idiomas, das quais 18 possuíam mais de um milhão de artigos e 52 tinham mais de 200 000 artigos. De acordo com o Alexa, o subdomínio anglófono recebe 56,7% do tráfego acumulado da Wikipédia, com o restante dividido entre as outras línguas (seguido do em espanhol: 8%, em japonês: 7,8%, em russo: 5,8%, em alemão: 4,3%). A Wikipédia em inglês possui o maior número de artigos (mais de 6 milhões), a alemã e a francesa possuem mais de 2 milhões, a Wikipédia em russo, a castelhana e a italiana possuem mais 1,5 milhão de artigos cada, sendo essas as wikipédias com maior número de edições.

Uma vez que a Wikipédia é um projeto livre da internet no mundo inteiro, portanto, os colaboradores de uma edição podem vir de lugares diferentes e por isso usarem dialetos diferentes (como é o caso da Wikipédia em português). Estas diferenças podem levar a alguns conflitos sobre diferenças de grafia (por exemplo trem ou comboio, goleiro ou guarda-redes) ou pontos de vista. Embora nas várias edições de idiomas sejam mantidas as políticas mundiais, da Wikimedia Foundation, como o "ponto de vista neutro", elas divergem em alguns pontos do texto e da prática, principalmente em imagens sem licença livre poderem ou não ser utilizadas sob uma alegação de fair use.

Jimmy Wales descreveu a Wikipédia como "um esforço para criar e distribuir uma enciclopédia livre da mais alta qualidade possível para cada pessoa no planeta em sua própria língua". Embora cada edição possua funções de línguas mais ou menos independentes, alguns esforços estão sendo feitos para supervisionar todos eles. Eles são coordenados, em parte, pelo Meta-Wiki e pela Wikimedia Foundation (dedicada à manutenção de todos os seus projetos, Wikipédia e outros). Por exemplo, o Meta-Wiki fornece estatísticas importantes em todas as versões da Wikipédia e mantém uma lista dos artigos essenciais, que devem constar em todas as edições do projeto. Artigos traduzidos representam apenas uma pequena porção de artigos na maioria das edições, em parte porque a tradução automática de artigos não é permitida. Artigos disponíveis em mais de uma língua podem oferecer links chamados de "interwikis", com ligações para o mesmo artigo em outra língua.

20 maiores Wikipédias
IdiomaIdioma (local)WikiArtigosTotal de páginasEdiçõesAdministradoresUsuáriosUsuários ativosImagensProf.
InglêsEnglishen6 825 43860 721 6411 220 065 18285947 427 190121 176917 0931252.84
CebuanoCebuanoceb6 118 01011 228 85535 039 8024115 95415112.18
AlemãoDeutschde2 911 3968 022 858243 539 9301744 370 99917 223129 29493.57
Francêsfrançaisfr2 612 71513 060 878214 783 5031464 928 47516 93571 656262.98
Suecosvenskasv2 585 0776 239 63054 659 93264910 0392 010017.51
NeerlandêsNederlandsnl2 158 7594 630 16267 391 892331 344 3523 6342019.08
Russoрусскийru1 980 2157 943 929137 612 992683 582 1229 559251 473157.12
Espanholespañoles1 953 9478 174 011159 772 556567 146 15615 0040198.08
Italianoitalianoit1 864 4658 000 551139 068 9841202 515 7697 861123 745188.27
Polonêspolskipl1 615 8363 731 13473 608 843981 308 4184 43226833.81
Chinês中文zh1 420 0677 708 63482 404 660633 513 8357 40267 185209.63
Japonês日本語ja1 416 1054 162 845100 230 588392 200 22813 1024 56190.58
Ucranianoукраїнськаuk1 324 0904 666 87342 535 09451749 8233 278114 14258.09
VietnamitaTiếng Việtvi1 293 33819 469 88971 335 75215954 0811 56426 174723.67
WarayWinaraywar1 266 4472 871 1397 600 835359 61464424.25
Árabeالعربيةar1 233 5598 425 64866 826 097232 581 2563 99454 192269.61
Portuguêsportuguêspt1 125 1985 698 61267 791 240513 074 6428 11662 186196.53
Persaفارسیfa1 002 8015 684 97939 472 132341 312 1115 42390 639151.37
Catalãocatalàca752 1001 879 72333 464 99827483 2201 28811 46540.02
Sérvioсрпски / srpskisr689 4194 131 29127 765 13715370 4551 33637 843167.51

Atualizações

O processo de atualização da Wikipédia não é apenas diário: ocorre a qualquer instante, muitas vezes em tempo real, no tocante a eventos mais importantes. Sobre isso, a revista Época salientou: "O verbete sobre a presidente eleita do Chile, Michelle Bachelet, trazia a notícia sobre a sua vitória nas eleições momentos após o anúncio oficial". É, portanto, uma enciclopédia "viva", "ágil" e "pop". Os fatores consistência e qualidade são constantemente monitorados por wikipedistas mais ativos. Um controle especial registra automaticamente a data e hora de cada última atualização. Quando surgem erros, o tempo médio atual para suas correções é de dois minutos. Graças à colaboração de voluntários, não raro consultores e editores wiki mesclam-se numa só pessoa. Como os interesses das pessoas são variadíssimos, o acervo da Wikipédia abrange várias tribos culturais.

Vandalismos

A natureza aberta do modelo de edição tem sido o mote da maioria das críticas à Wikipédia. Por exemplo, um leitor de um artigo não pode ter certeza de que determinado verbete não foi comprometido pela inserção de informações falsas ou pela remoção de informações essenciais. O ex-editor chefe da Encyclopædia Britannica, Robert McHenry, certa vez descreveu isto dizendo:

O usuário que visita a Wikipédia para aprender sobre algum assunto, para confirmar alguma questão sobre um fato, está na posição de um visitante de um banheiro público. Pode estar obviamente sujo, de modo que ele sabe que deve ter muito cuidado, ou pode parecer bastante limpo, de modo que ele seja embalado em uma falsa sensação de segurança. O que ele certamente não sabe é quem usou essas instalações antes dele.— John Seigenthaler descreveu a Wikipédia como "uma ferramenta de pesquisa falhada e irresponsável".

No entanto, o vandalismo óbvio é fácil de remover nos artigos, já que as versões anteriores de cada artigo são mantidas. Na prática, o tempo médio para detectar e corrigir vandalismos é muito baixo, normalmente de alguns minutos, mas em um incidente particularmente bem divulgado, uma informação falsa foi introduzida na biografia do político estadunidense John Seigenthaler e permaneceu despercebida por quatro meses. John Seigenthaler, o diretor editorial fundador do USA Today e fundador do "Centro Primeira Emenda" da Universidade Vanderbilt, chamou Jimmy Wales e perguntou-lhe se existia alguma forma de saber quem contribuiu com a desinformação. Wales respondeu que não, mas, no entanto, o autor acabou por ser rastreado.

A estrutura aberta da Wikipédia faz com que ela seja um alvo fácil para os trolls, spams e aqueles procuram usar o projeto para espalhar suas ideias. A adição de spins políticos para artigos de organizações, incluindo membros da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos e grupos de interesses especiais, foi observada, e organizações como a Microsoft têm oferecido incentivos financeiros para trabalhar em certos artigos. Estas questões foram parodiadas, nomeadamente por Stephen Colbert no The Colbert Report.

Por exemplo, em agosto de 2007, o site WikiScanner começou a rastrear as fontes das alterações feitas na Wikipédia por editores anônimos, sem contas registradas no site. O programa revelou que muitas dessas edições foram feitas por empresas ou agências do governo para alterar o conteúdo de artigos relacionados a eles, seu pessoal ou seu trabalho. O WikiScanner pode ajudar a evitar que uma organização ou indivíduos editem páginas que não deveriam. A nova ferramenta virtual indica que usuários de computadores da Agência Central de Inteligência (CIA), do Federal Bureau of Investigation (FBI), do Vaticano, do Partido Trabalhista do Reino Unido, das Organização das Nações Unidas, da Dell Computers, do Walmart, da Microsoft e da Apple, dentre muitos outros, são responsáveis por edições nos textos do site Wikipédia.

Na prática, a Wikipédia é defendida de ataques por vários sistemas e técnicas. Estes incluem páginas onde os usuários podem verificar edições (por exemplo, "páginas vigiadas" e "mudanças recentes"), programas de computador ("bots"), que são cuidadosamente projetados para tentar detectar ataques e corrigi-los automaticamente (ou semiautomaticamente), filtros que avisam os usuários sobre fazer indesejáveis edições, bloqueios sobre a criação de links para sites em particular e bloqueios de edições de contas específicas, endereços de IP ou intervalos de endereços. Páginas fortemente atacadas, artigos em particular, podem ser semiprotegidos de modo que apenas usuários registrados estabelecidos possam editá-los, ou para casos particularmente controversos, bloqueios podem ser usados para que apenas os administradores sejam capazes de fazer edições. Tal bloqueio é aplicado com moderação, geralmente apenas por curtos períodos de tempo, enquanto os ataques parecerem propensos a continuar. Em 8 de agosto de 2014, uma matéria do portal de O Globo afirmou que um dispositivo conectado à internet através da rede sem fio do Palácio do Planalto alterou, em maio de 2013, informações das páginas de Miriam e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia, com o objetivo de difamá-los. As informações inseridas no artigo de Miriam qualificavam suas análises e previsões econômicas como "desastrosas", além de acusá-la de ter defendido "apaixonadamente" o banqueiro Daniel Dantas quando este foi preso pela Polícia Federal. Esta última acusação ocorreu em razão de comentário de Miriam na Rádio CBN onde ela defendia a inocência de Dantas. As Organizações Globo foram criticadas por divulgar alterações das biografias de seus contratados na Wikipédia, ferramenta de caráter colaborativo e aberta à edição de todos e que, segundo seu próprio criador, Jimmy Wales, não deve ser usada como fonte primária de informação. Também foram criticadas por só terem noticiado as alterações em plena campanha eleitoral de 2014. O jornalista Miguel do Rosário divulgou que um usuário que navegava através da rede da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo inseriu uma calúnia na biografia do músico Raul Seixas. Ele também relatou que já visitou o Palácio do Planalto e que teve acesso à senha da rede sem fio do gabinete presidencial.

Qualidade da escrita

Visto que os contribuintes normalmente reescrevem pequenas porções de um verbete ao invés de fazer grandes revisões em todo o texto, num mesmo artigo pode coexistir conteúdo de alta e de baixa qualidade. Os críticos argumentam que, por vezes, edições de não-especialistas minam a qualidade. Por exemplo, Roy Rosenzweig, em um ensaio de junho de 2006 que combinou tanto elogios como reparos à Wikipédia, teceu várias críticas à sua prosa e sua incapacidade de distinguir o que de fato é importante do meramente sensacional. Ele disse que a Wikipédia é "surpreendentemente precisa em relatar nomes, datas e acontecimentos da história dos Estados Unidos" (o campo de estudo de Rosenzweig) e que a maioria dos poucos erros factuais que ele encontrou "eram pequenos e negligenciáveis", acrescentando que alguns deles "simplesmente repetiam crenças divulgadas amplamente, porém imprecisas", que também são repetidas nas enciclopédias Encarta e na Britannica. No entanto, ele fez uma crítica importante:

Uma boa escrita histórica requer não apenas o rigor factual, mas também um domínio da literatura acadêmica, uma análise e interpretações convincentes e uma prosa clara e envolvente. Nestes pontos a American National Biography Online facilmente ultrapassa a Wikipédia—

Contrastando o tratamento dado a Abraham Lincoln na Wikipédia com o oferecido na American National Biography Online pelo historiador da Guerra Civil, James McPherson, Rosenzweig disse que ambos eram essencialmente corretos e cobriam os episódios principais da vida de Lincoln, mas elogiou "a contextualização mais rica de McPherson... seu hábil uso de citações para capturar a voz de Lincoln,... a sua capacidade de transmitir uma mensagem profunda com apenas um punhado de palavras". Por outro lado, ele deu um exemplo de prosa da Wikipédia que considerou "verborreica e sem graça". Rosenzweig fez ainda uma crítica mais, comparando "a habilidade e julgamento seguro de um historiador experiente", exibido por McPherson e outros, com o "arcaísmo" da Wikipédia, que ele comparou a esse respeito à revista American Heritage, e disse que embora a Wikipédia forneça frequentemente extensas referências, elas não são as melhores disponíveis.

Rosenzweig também criticou a ambiguidade — encorajada pela política de imparcialidade ou de ponto de vista neutro — significando que é difícil discernir na Wikipédia qualquer orientação interpretativa global da história. Por exemplo, ele citou a conclusão do artigo da Wikipédia em inglês sobre William Clarke Quantrill. Embora em geral elogiando o artigo, considerou sua conclusão indecisa: "Alguns historiadores... lembram-se dele como um fora-da-lei oportunista e sedento de sangue, enquanto outros continuam a vê-lo como um soldado audaz e um herói popular".

Outros críticos fizeram acusações semelhantes, dizendo que mesmo que os artigos da Wikipédia sejam factualmente precisos, muitas vezes são escritos em um estilo pobre e quase ilegível. O frequente crítico da Wikipédia, Andrew Orlowski, comentou: "Mesmo quando uma página na Wikipédia é 100 por cento correta factualmente, e esses fatos são cuidadosamente escolhidos, muitas vezes o resultado parece como se tivesse sido traduzido de uma língua para outra, em seguida para uma terceira, em todos os estágios passando pelas mãos de tradutores incompetentes". Um estudo de artigos sobre câncer realizado por Yaacov Lawrence do Kimmel Cancer Center, na Universidade Thomas Jefferson, descobriu que os verbetes eram, em sua maioria, precisos, mas eram escritos no nível de leitura da faculdade, ao contrário do nível de colegial visto no Physician Data Query. Lawrence disse que "falta de legibilidade da Wikipédia pode refletir suas origens variadas e edições casuais". A The Economist observou que a qualidade da escrita dos artigos da Wikipédia pode ser um guia para o leitor: "a prosa deselegante ou o discurso retórico geralmente refletem pensamentos confusos e informações incompletas". Um estudo de 2005 feito pela revista Nature, comparando o conteúdo científico da Wikipédia e o da Encyclopædia Britannica, afirmou que a precisão da Wikipédia foi próxima a da Britannica, mas que a estrutura dos artigos da Wikipédia era muitas vezes pobre".

Confiabilidade

A maneira de crowdsourcing da Wikipédia significa que qualquer pessoa pode mentir ou vandalizar, no entanto, esses riscos são de conhecimento comum. Além disso, qualquer um pode corrigir as afirmações suspeitas ou criticar abertamente, comportamentos habilitado pelo sistema.

Como consequência da sua estrutura aberta, a Wikipédia "não dá nenhuma garantia de validade" do seu conteúdo, já que ninguém é responsável por quaisquer reivindicações que nela figuram. Preocupações têm sido levantadas quanto à falta de responsabilidade que resulta do anonimato dos usuários e a inserção de informações falsas.

A Wikipédia tem sido acusada de expor viés sistêmico e inconsistência; além disso, os críticos argumentam que a natureza aberta da Wikipédia e a falta de fontes adequadas para grande parte da informação torna o conteúdo pouco confiável. Alguns analistas sugerem que a Wikipédia é geralmente de confiança, mas que a confiabilidade de qualquer artigo nem sempre é clara. Editores de obras de referência tradicionais como a Encyclopædia Britannica têm questionado a utilidade do projeto e seu status como uma enciclopédia. Muitos professores universitários desencorajam os estudantes de citar qualquer enciclopédia em trabalhos acadêmicos, preferindo fontes primárias; alguns proíbem especificamente citações da Wikipédia. O cofundador Jimmy Wales salienta que enciclopédias de qualquer tipo normalmente não são apropriadas como fontes primárias e não devem ser invocadas como autoridades.

No entanto, uma investigação relatada na revista Nature, em 2005, sugeriu que os artigos científicos da Wikipédia chegaram perto do nível de precisão da Encyclopædia Britannica e tinham uma taxa semelhante de "erros graves". Estas alegações foram contestadas pela Encyclopædia Britannica.

O economista Tyler Cowen escreve: "Se eu tivesse que adivinhar se é a Wikipédia ou um artigo de um jornal médio sobre economia qual é mais provável que esteja dizendo a verdade, acho que depois de não muito tempo eu optaria pela Wikipédia". Ele comenta que muitas fontes tradicionais de não-ficção sofrem preconceitos sistêmicos. Resultados novos são excessivamente relatados em artigos de revistas, enquanto informações relevantes são omitidas do noticiário. No entanto, ele também adverte que erros são frequentemente encontrados em sites de Internet e que os acadêmicos e especialistas devem estar atentos para corrigi-los.

Em fevereiro de 2007, um artigo no jornal The Harvard Crimson informou que alguns dos professores da Universidade de Harvard incluem a Wikipédia em suas ementas, mas que há uma divisão na sua percepção do uso da Wikipédia. Em junho de 2007, o ex-presidente da American Library Association, Michael Gorman, condenou a Wikipédia, juntamente com o Google, afirmando que os acadêmicos que apoiam o uso da Wikipédia são "o equivalente intelectual de um nutricionista, que recomenda uma dieta constante de Big Macs com tudo". Ele também disse que "uma geração de preguiçosos intelectuais incapazes de ir além da Internet" estava sendo produzida nas universidades. Ele reclama que as fontes baseadas na web são desanimadoras da aprendizagem dos alunos a partir dos textos mais raros que sejam encontradas apenas no papel ou estão em locais de inscrição somente pela web. No mesmo artigo Jenny Fry (um pesquisador do Oxford Internet Institute) comentou sobre acadêmicos que citam a Wikipédia, dizendo que: "Você não pode dizer que as crianças são intelectualmente preguiçosas porque elas estão usando a Internet, quando os acadêmicos estão usando os motores de busca em suas pesquisas. A diferença é que eles têm mais experiência para serem críticos sobre o que estão pesquisando e se ele é autoritário. As crianças precisam ser ensinadas a usar a Internet de forma crítica e adequada".

Operação

Logo da Wikimedia Foundation.

Fundação Wikimedia e capítulos

A Wikipédia é uma enciclopédia hospedada e financiada pela Fundação Wikimedia, uma organização sem fins lucrativos que opera a Wikipédia e projetos relacionados, tais como o Wikcionário, Wikilivros e outros. Os capítulos Wikimedia, associações locais de usuários e defensores dos projetos Wikimedia, participam também da promoção, desenvolvimento e financiamento do projeto.

Software e hardware

A operação na Wikipédia é realizada através do software wiki livre e de código aberto chamado "MediaWiki", o qual é escrito em PHP e usa o banco de dados MySQL. O software incorpora recursos de programação como uma macrolinguagem, variáveis, um sistema de transclusão de templates e redirecionamento de URLs. O MediaWiki está licenciado sob a GNU General Public License e é usado por todos os projetos da Wikimedia, assim como muitos outros projetos wiki. Originalmente, a Wikipédia funcionava com o UseModWiki escrito em Perl por Clifford Adams (primeira fase), que inicialmente requeria hiperligações nos artigos por meio do CamelCase; o estilo atual de faixa dupla só foi incorporado mais tarde.

Visão geral da arquitetura do sistema da Wikimedia, dezembro de 2010. Veja diagrama dos servidores no Meta-Wiki.

A partir de janeiro de 2002 (segunda fase), a Wikipédia passou a contar com um software escrito em PHP wiki, por meio de um banco de dados MySQL, feito sob medida para a Wikipédia por Magnus Manske. Nessa fase, o software foi modificado várias vezes, para acomodar a demanda exponencialmente crescente. Em julho de 2002, a Wikipédia passou a utilizar um software de terceira geração, o MediaWiki, feito e desenvolvido por Lee Daniel Crocker. Várias extensões do MediaWiki estão instaladas para estender a funcionalidade deste software. Em abril de 2005, uma extensão Apache Lucene foi adicionada ao software MediaWiki em "bult-in" e o banco de dados de indexação, que até aí era MySQL, passou a ser do tipo Lucene. Atualmente, a extensão Lucene 2.1 é escrita em Java e baseada na Lucene library 2.3.

A Wikipédia atualmente roda em clusters de servidores dedicados Linux (principalmente Ubuntu), com algumas máquinas OpenSolaris com sistemas de arquivos ZFS. Em dezembro de 2009, havia 300 na Flórida, Estados Unidos, e 44 em Amsterdã, nos Países Baixos.

A Wikipédia recebe entre 25 000 e 60 000 pedidos de página por segundo, dependendo da hora do dia. As solicitações de página são servidas por uma camada de servidores de cache Squid. Além disso, as estatísticas ficam disponíveis publicamente por 3 meses para o acesso da Wikipédia. Os pedidos que não podem ser atendidos a partir do cache são enviados para servidores de balanceamento de carga executando o software Linux Virtual Server, que por sua vez, passa a solicitação para um dos servidores web Apache para a renderização de páginas do banco de dados. Os servidores web atualizam o cache conforme solicitado, realizando renderização de páginas para todas as versões da Wikipédia. Para aumentar a velocidade ainda mais, as páginas processadas são armazenadas em um cache de memória distribuído até ser invalidado, permitindo que a maioria das solicitações de páginas comuns dispensem nova renderização. Atualmente grande parte da carga de tráfego da Wikipédia é suportada por dois clusters maiores nos Países Baixos e na Coreia do Sul.

Acesso móvel

Versão móvel da página inicial da Wikipédia lusófona

O acesso à Wikipédia partir de telefones móveis foi possível já em 2004, através do Wireless Application Protocol (WAP), através do serviço Wapedia. Em junho de 2007, a Wikipédia lançou o pt.mobile.wikipedia.org, um site oficial para dispositivos sem fio. Em 2009 um novo serviço móvel foi lançado oficialmente, localizado em pt.m.wikipedia.org, que atende aos mais avançados dispositivos móveis como o iPhone, dispositivos baseados no Android, ou o Palm Pre. Vários outros métodos de acesso móvel à Wikipédia surgiram. Vários dispositivos e aplicações otimizam ou melhoram a exibição do conteúdo da Wikipédia para dispositivos móveis, enquanto alguns também incorporam funcionalidades adicionais, tais como o uso de metadados da Wikipédia, como a geoinformação.

Impacto

Editorial

Alguns observadores afirmam que a Wikipédia é uma ameaça econômica para os editores de enciclopédias tradicionais, muitos dos quais podem ser incapazes de competir com um produto que é essencialmente livre. Nicholas Carr escreveu no ensaio "A amoralidade da Web 2.0", falando sobre a chamada "Web 2.0" como um todo: "implícita nas visões de êxtase de Web 2.0 é a hegemonia do amador. Eu, pelo menos, não posso imaginar nada mais assustador".

Outros defendem a ideia de que a Wikipédia, ou projetos semelhantes, deverá deslocar inteiramente publicações tradicionais. Por exemplo, Chris Anderson, editor-chefe da revista Wired, escreveu na revista Nature que a abordagem de "sabedoria das multidões" da Wikipédia não substitui as revista científicas com os seus rigorosos processos de revisão.

Pandemia de COVID-19

O número de edições e páginas criadas sobre o tema pandemia de COVID-19 na Wikipédia recebeu atenção da mídia internacional. Mais de 4 500 páginas foram criadas sobre os mais diversos aspectos da pandemia, sua disseminação por diferentes países, as formas como o vírus se dissemina e o esforço global para encontrar um tratamento. Os artigos em inglês na Wikipédia sobre a doença registraram mais de 240 milhões de visualizações. No início de abril de 2020 a Fundação Wikimedia observou um recorde não atingido havia cinco anos, com mais de 673 milhões de visualizações de páginas em um único dia em todos os seus projetos. O volume de tráfego foi quase que integralmente de artigos da Wikipédia sobre a COVID-19.

Cultural

A Wikipédia sendo mostrada no videoclipe de Weird Al para a canção "White & Nerdy".

Além do crescimento logístico do número de seus artigos, a Wikipédia tem conquistado status como um site de referência geral desde a sua criação em 2001. O crescimento da Wikipédia tem sido alimentado por sua posição dominante no resultado de buscas do Google; cerca de 50% do tráfego de motores de buscas para a Wikipédia vem do Google, boa parte do que está relacionado com a pesquisa acadêmica. O número de leitores da Wikipédia em todo o mundo atingiu a marca de 365 milhões no final de 2009. O Pew Research Center e o projeto "American Life" constatou que um terço dos usuários da Internet dos Estados Unidos consultam a Wikipédia. Em outubro de 2006, o valor de mercado hipotético do site era estimado em 580 milhões de dólares se ele publicasse anúncios.

O conteúdo da Wikipédia também tem sido utilizado em estudos acadêmicos, livros, conferências e processos judiciais. O website do Parlamento do Canadá refere-se ao artigo da Wikipédia sobre casamento homossexual no "links relacionados" de sua lista de "leitura adicional" do "Civil Marriage Act". As afirmações da enciclopédia são cada vez mais utilizadas como fonte por organizações como os tribunais federais dos Estados Unidos e da Organização Mundial da Propriedade Intelectual — mas principalmente para obter informações de apoio ao invés de informações decisivas em um caso. O conteúdo exibido na Wikipédia também tem sido citado como fonte e referência em alguns relatórios da Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos. Em dezembro de 2008, a revista científica RNA Biology lançou uma nova seção para a descrição de famílias de moléculas de RNA e requereu que os autores que contribuem para a seção também apresentassem um projeto de artigo sobre o RNA familiar da Wikipédia.

Monumento à Wikipédia, em Słubice, Polônia.

A Wikipédia também tem sido utilizada como fonte no jornalismo, muitas vezes sem atribuição, sendo que vários jornalistas foram demitidos por plagiar a Wikipédia. Em julho de 2007, a Wikipédia foi foco de um documentário de 30 minutos da BBC Radio 4 que argumentava que, com o aumento do uso, o número de referências da Wikipédia na cultura de massa é tal que o termo é um membro do grupo de marcas do século XXI que são tão familiares (Google, Facebook, YouTube) que já não precisam de explicações e estão a par com termos do século XX como Hoovering ou Coca-Cola.

Em 28 de setembro de 2007, o político italiano Franco Grillini levantou uma questão parlamentar com o Ministro dos Recursos e Atividades Culturais sobre a necessidade da liberdade de panorama. Ele disse que a falta de tal liberdade força a Wikipédia, "o sétimo site mais consultado", a proibir todas as imagens de edifícios modernos italianos e de obras de arte e que isso era extremamente prejudicial para as receitas turísticas.

Jimmy Wales recebendo a Quadriga A Mission of Enlightenment.

Em 16 de setembro de 2007, o The Washington Post informou que a Wikipédia se tornou um ponto focal na eleições dos EUA de 2008, dizendo: "Digite o nome do candidato no Google e dentre os primeiros resultados estará uma página da Wikipédia, tornando-a, sem dúvida, tão importante quanto qualquer anúncio na definição de um candidato. Enquanto os artigos dos presidenciais estão sendo editados e debatidos inúmeras vezes a cada dia".

Em 2009, Daniel Pink referiu a Wikipédia como prova cabal do funcionamento do modelo de motivação por si proposto na obra "Drive" — autonomia, maestria, sentido — em oposição a modelos de motivação tradicionais do tipo "cenoura e chicote" que têm vindo a falhar, como foi o caso do Microsoft Encarta.

Sátiras Logo da Desciclopédia.

Várias paródias da Wikipédia foram abertas para inserir falsidades, com características vandalizadoras ou com modificações dos artigos da enciclopédia. O comediante Stephen Colbert citou a Wikipédia em vários episódios de seu programa The Colbert Report e cunhou o termo relacionado wikiality, que significa "juntos podemos criar uma realidade que todos nós concordamos". Outro exemplo pode ser encontrado em um artigo de primeira página do The Onion em julho de 2006, com o título "Wikipédia comemora 750 anos de Independência americana". Outros brincam com o lema da Wikipédia, como em "The Negotiation", em um episódio de The Office, onde o personagem Michael Scott diz:"... Wikipédia é a melhor coisa que qualquer pessoa no mundo pode escrever o que quiser sobre qualquer assunto, para que você saiba que você está recebendo a melhor informação possível". "My Number One Doctor", em um episódio de 2007 do programa de televisão Scrubs, também satirizou a dependência da Wikipédia sobre editores que editam os artigos da cultura erudita e pop, em uma cena em que Dr. Perry Cox reage a um paciente que diz que um artigo da Wikipédia indica que o crudivorismo reverte os efeitos da tumor ósseo por autoclavagem e que o mesmo editor que escreveu que o artigo também escreveu a lista de episódios de Battlestar Galactica. Em um episódio de 30 Rock, Pete e Frank adicionam informações sem sentido para a página Janis Joplin da Wikipédia depois de Jenna dizer que ela deveria procurá-la para saber mais sobre ela, pois, uma vez que a Wikipédia poderia ser editada por qualquer pessoa, foi a pesquisa mais informativa, pois eles descobrem mais a cada dia.

O website satírico Desciclopédia que parodia a Wikipédia. Fundado em 2005 no formato de uma wiki em inglês, o projeto atualmente tem versões em mais de 75 idiomas. O projeto foi lançado em janeiro de 2005, por Jonathan Huang.

Em julho de 2009, a BBC Radio 4 transmitiu uma série de comédia chamada Bigipedia, baseada em um site que era uma paródia da Wikipédia. Alguns dos esboços foram diretamente inspirados na Wikipédia e seus artigos. O site de comédia CollegeHumor produziu um esboço de vídeo chamado "Professor Wikipédia", em que o fictício Professor Wikipédia instrui uma classe com várias declarações inverificáveis e, ocasionalmente, absurdas.

Premiações

Wikipedistas espanhóis após o recebimento do Prémio Princesa das Astúrias em 2015.

A Wikipédia ganhou dois prêmios importantes em maio de 2004. O primeiro foi um "Nica de Ouro das Comunidades Digitais" no concurso anual Prix Ars Electronica, valendo 10 mil euros e um convite para assistir à Cyberarts PAE Festival na Áustria mais tarde naquele ano. O segundo foi o Prêmio Webby para a categoria "comunidade". A Wikipédia também foi indicada para "Melhores Práticas" do Webby. Em 26 de janeiro de 2007, a Wikipédia também foi premiada com a classificação de quarta melhor marca pelos leitores do brandchannel.com, recebendo 15% dos votos, em resposta à pergunta "Qual marca teve mais impacto em nossas vidas em 2006?".

Em setembro de 2008, a Wikipédia recebeu o prêmio Quadriga Uma Missão de Iluminação, atribuído por Werkstatt Deutschland, juntamente com Boris Tadic, Eckart Höfling e Peter Gabriel. O prêmio foi entregue a Jimmy Wales por David Weinberger.

No dia 15 de janeiro de 2015, a Comunidade Wikipédia foi agraciada com o prêmio Erasmus por sua "ter promovido a disseminação do conhecimento através de uma enciclopédia ampla e universalmente acessível". Também em 2015, a Wikipédia foi laureada com o Prémio Princesa das Astúrias de 2015 na categoria Cooperação Internacional. O júri refere que "figura entre os dez sites mais visitados do mundo, tem crescido continuamente , incluindo um número de línguas indígenas. exemplo importante de cooperação internacional, democrática, aberta e participatória .

Projetos relacionados

Uma série de enciclopédias interativas que incorporam artigos escritos pelo público já existiam muito antes da Wikipédia ser fundada. A primeira delas foi a BBC Domesday Project, em 1976, que incluía textos (que entraram na BBC Micro computadores) e fotografias feitos por mais de um milhão de contribuintes do Reino Unido, cobrindo temas como geografia, arte e cultura desse país. Essa foi a primeira enciclopédia interativa (e também foi o primeiro grande documento multimídia conectado através de links internos), sendo a maioria dos artigos acessíveis através de um mapa interativo do Reino Unido. A interface do usuário e parte do conteúdo do "Projeto Domesday" foram emulados em um site até 2008. Uma das mais bem sucedidas enciclopédias online que incorporava edições feitas pelo público foi a h2g2, criada por Douglas Adams e dirigida pela BBC. A enciclopédia h2g2 tinha foco em artigos informativos. Ambos os projetos citados tinham semelhanças com a Wikipédia, mas também não davam privilégios editoriais completos para seus usuários. Um projeto não-wiki similar, o GNUpedia, coexistia com a Nupedia no início de sua história. No entanto esse foi aposentado e seu criador, Richard Stallman, deu apoio à Wikipédia.

A Wikipédia também gerou vários projetos irmãos, que são executados pela Wikimedia Foundation. O primeiro, "Em Memória: 11 de setembro Wiki", criado em outubro de 2002, falava sobre os Ataques de 11 de setembro de 2001; este projeto foi inativado em outubro de 2006. O Wikcionário, dicionário eletrônico de conteúdo livre, foi lançado em dezembro de 2002; O Wikiquote, uma coleção de citações, foi criado uma semana depois do lançamento da Wikimedia; e ainda há o Wikilivros, uma coleção de livros e textos escritos de forma colaborativa. A Wikimedia, desde então, começou uma série de outros projetos, incluindo o Wikimedia Commons, um site multimídia dedicado ao conhecimento livre; o Wikinotícias, para o jornalismo, e a Wikiversidade, um projeto para a criação materiais de aprendizagem e da prestação de atividades de aprendizagem online. Destes, apenas o Commons tem tido um sucesso comparável ao da Wikipédia.

Várias edições da Wikipédia também mantêm um serviço de orientação, onde os voluntários respondem a perguntas do público em geral. De acordo com um estudo realizado por Pnina Shachaf no "Journal of Documentation", a qualidade do serviço de orientação da Wikipédia é comparável a uma mesa de orientação de uma biblioteca, com uma precisão de 55%.

Outros sites centrados na colaboração à base de conhecimento têm se inspirado na Wikipédia. Alguns, como Susning.nu, Enciclopedia Libre, Hudong, Baidu Baike e WikiZnanie, também empregam processos formais de revisão, enquanto outros usam métodos mais tradicionais de revisão por pares, como Encyclopedia of Life, Stanford Encyclopedia of Philosophy, Scholarpedia, h2g2 e Everything2. A wiki online Citizendium foi iniciada pelo cofundador da Wikipédia, Larry Sanger, na tentativa de criar um "auxiliar" para a Wikipédia.

Controvérsias

Acusações de plágio

O Wikipedia Watch criticou o site em 2006, quando listou dezenas de exemplos de plágio cometidos pelos editores da Wikipédia em inglês. Jimmy Wales, cofundador da Wikipédia, disse a este respeito: "Nós precisamos lidar com tais atividades com rigor absoluto, sem piedade, porque este tipo de plágio está 100% em desacordo com todos os nossos princípios fundamentais".

Conteúdo sexual

A Wikipédia tem sido criticada por permitir a publicação em seus artigos de materiais visuais de conteúdo sexual, como imagens e vídeos de masturbação e ejaculação, bem como cenas de filmes pesadamente pornográficos. Ativistas de proteção à criança dizem que conteúdo sexual visual aparece em várias páginas da Wikipédia, exibido sem qualquer aviso ou categorização de idade.

Em maio de 2010, houve discussões entre os editores sobre a existência de imagens com tema sexual no Wikimedia Commons. Estas resultaram em outras discussões, sobre as mudanças nas normas do repositório.

É uma questão difícil. Como enciclopédia, temos de cobrir certos assuntos que alguns leitores consideram incômodos. Temos de abordá-los de forma respeitosa. Encontrar o equilíbrio sempre vai exigir bastante conversa.— Jimmy Wales sobre os desentendimentos gerados entre os editores sobre as fotos pornográficas.

O artigo sobre "Virgin Killer", um álbum de 1976 da banda alemã de heavy metal Scorpions, apresenta uma imagem da capa original do álbum, que retrata uma menina pré-adolescente nua. A publicação da capa original causou polêmica e ela foi substituída em alguns países. Em dezembro de 2008, o acesso ao artigo da versão inglesa "Virgin Killer" foi bloqueado durante quatro dias pela maioria dos provedores de serviços de internet no Reino Unido, depois que foi denunciado por um leitor como pornografia infantil. A Internet Watch Foundation, uma organização não governamental sem fins lucrativos, criticou a inclusão da fotografia como "de mau gosto".

Em abril de 2010 Larry Sanger escreveu uma carta para o Federal Bureau of Investigation, destacando sua preocupação por duas categorias de imagens na Wikipédia conterem pornografia infantil, violando a lei federal sobre obscenidade dos EUA. Sanger mais tarde esclareceu que as imagens, que eram relativas à pedofilia e uma sobre lolicon, não eram fotos de crianças verdadeiras, mas disse que eram "representações visuais obscenas do abuso sexual de crianças", nos termos do PROTECT Act de 2003. Essa lei proíbe a pornografia infantil fotográfica e as imagens em desenhos animados e quadrinhos que são consideradas obscenas pela legislação americana. Sanger também expressou preocupações sobre o acesso em escolas às imagens da Wikipédia. A Wikipédia rejeitou enfaticamente a acusação de Sanger. O porta-voz da Wikimedia Foundation, Jay Walsh, disse que a Wikipédia não possui "material que consideremos ilegal. Se tivéssemos, seria removido". Na sequência da queixa apresentada por Larry Sanger, Wales excluiu imagens sexuais sem consultar a comunidade. Depois que alguns editores argumentaram que a decisão de excluí-las foi tomada demasiado às pressas, Wales voluntariamente renunciou a alguns dos poderes que detinha por seu estatuto de cofundador. Ele escreveu em uma mensagem enviada à lista de correio da Wikimedia Foundation que agira assim "no interesse de encorajar que esta discussão seja sobre questões reais de filosofia e conteúdo, ao invés de ser sobre mim e sobre a rapidez com que eu agi".

Privacidade

O problema de privacidade na Wikipédia envolve o direito de um cidadão de permanecer privado, continuar a ser um "cidadão" em vez de uma "figura pública" aos olhos da lei. É uma espécie de batalha entre o direito de ser anônimo no ciberespaço e o direito de ser anônimo na vida real. O Wikipedia Watch afirma que "a Wikipédia é uma ameaça potencial a qualquer pessoa que valorize a vida privada" e que "um maior grau de responsabilidade na estrutura da Wikipédia" seria "o primeiro passo para solucionar o problema da privacidade".

Em 2005 a Agence France-Presse citou Daniel Brandt, o proprietário do Wikipedia Watch, dizendo que "o problema básico é que ninguém, nem os administradores da Wikimedia Foundation, nem os voluntários que estão conectados com a Wikipédia, consideram-se responsáveis pelo seu conteúdo".

Em janeiro de 2006 um tribunal alemão ordenou o fechamento da Wikipédia em alemão na Alemanha por ter publicado o nome completo do Boris Floricic, também conhecido como "Tron", um hacker que era antigamente membro do Chaos Computer Club. Mais especificamente, o tribunal ordenou que a URL no domínio alemão.de (http://www.wikipedia.de/) não poderia redirecionar para servidores da enciclopédia na Flórida, em http://de.wikipedia.org, embora os leitores alemães ainda permanecessem capazes de usar a URL baseada nos EUA diretamente, e não houve praticamente nenhuma perda de acesso por parte deles. A ordem judicial surgiu de uma ação movida pelos pais Floricic, exigindo que o sobrenome de seu filho fosse retirado da Wikipédia. Em 9 de fevereiro de 2006 a liminar contra a Wikimedia Deutschland foi anulada, com o juiz rejeitando a noção de que o direito de privacidade de Tron ou de seus pais estivesse sendo violado. Os demandantes apelaram para o Tribunal do Estado de Berlim, mas o processo foi recusado em maio de 2006.

Sexismo

A Wikipédia foi descrita em 2015 como abrigando uma cultura de campo de batalha de sexismo e assédio.

As atitudes tóxicas percebidas e a tolerância de linguagem violenta e abusiva foram razões apresentadas em 2013 para a diferença de gênero na editoria da Wikipedia.

Editatonas foram realizadas para encorajar editoras e aumentar a cobertura de tópicos femininos.

Uma pesquisa abrangente de 2008, publicada em 2016, encontrou diferenças significativas de gênero em: confiança na experiência, desconforto com a edição e resposta ao feedback crítico. “As mulheres relataram menos confiança em seus conhecimentos, expressaram maior desconforto com a edição (que normalmente envolve conflito) e relataram mais respostas negativas ao feedback crítico em comparação com os homens”.

Censura

Em dezembro de 2008, o Internet Watch Foundation, organização que lista sites que possuem material ilegal ou potencialmente ilegal, adicionou a Wikipédia à sua lista de sites perigosos. Devido a seis dos maiores provedores de internet do Reino Unido usarem o site para bloquear páginas perigosas, 95% das residências do país ficaram impossibilitadas de acessar o site, devido à imagem da capa do álbum Virgin Killer, da banda alemã Scorpions.

Manipulações e viés

O projeto recebe grandes subsídios de multinacionais americanas, de interesses capitalistas. Por outro lado, na opinião de César Rendueles, doutor em filosofia, professor associado da Universidade Complutense de Madrid e usuário da Wikipedia, «tudo é muito mais doméstico do que algumas pessoas imaginam». Segundo ele, «a enciclopédia é "controlada" por todos aqueles que generosamente dedicam seu tempo regularmente à edição de artigos», e argumenta que como resultado a enciclopédia reflete o perfil predominantemente conservador —embora em muitos casos para a redação de artigos, mostra o lado liberal, dando mais ênfase à liberdade de conteúdo do que à cooperação do mesmo— daqueles que têm mais tempo livre. Conclui dizendo que «uma maior presença da comunidade universitária e escolar seria um verdadeiro sopro de ar fresco» para a enciclopédia. Opinião contrária de outros autores, como Daniel Rodríguez Herrera, para quem a Wikipedia tem uma clara tendência de esquerda, o que é comprovado ao ver os resumos de Stalin e outros líderes comunistas que nunca são chamados de "ditadores", apenas líderes.

Algumas empresas tentaram repetidamente manipular as informações que aparecem sobre elas na Wikipedia, enfatizando aspectos positivos e atenuando ou removendo os negativos para melhorar sua imagem corporativa. Por exemplo, a Microsoft removeu um parágrafo que mencionava os erros de seu console Xbox 360, e a empresa petrolífera Chevron-Texaco apagou todo um texto sobre biodiesel. Em 2013, o jornal econômico Expansión denunciou as ações de algumas das principais empresas espanholas para manipular seu histórico ou alterar favoravelmente as biografias de seus diretores. Mudanças desse tipo podem ser detectadas usando uma ferramenta chamada WikiScanner.

Outras críticas, além da precisão, referiram-se à violação da privacidade de algumas pessoas, à adição de imagens consideradas como pornografia infantil, a escassa precisão nas entradas sobre temas de saúde, ou a criação de artigos biográficos sobre animais. Algumas denúncias foram muito notórias e graves, como o uso do emblema pertencente ao Oficina Federal de Investigação em um de seus artigos.

Um tema de controvérsia em certos meios é o trabalho de alguns administradores — chamados de "bibliotecários" — que excedem suas funções, bloqueando outros usuários e gerando descontentamento. Por isso, muitos desejam manter seu anonimato por medo de represálias. Além disso, o ambiente da Wikipedia permite e até incentiva tais ações; pois, segundo Arias Maldonado, uma das partes divertidas da Wikipedia é conspirar. Uma evidência da FiveThirtyEight sobre os 100 artigos mais editados na versão em inglês mostra que os temas mais controversos para a Wikipedia são esportes, personagens do entretenimento americano, política e religião. No topo da lista estão os artigos sobre Estados Unidos, Michael Jackson, Jesus Cristo e os lutadores da WWE, este último bem mais editado que o artigo do Real Madrid.

Em 2020, o Google atribuiu temporariamente um título incomum e potencialmente difamatório à vice-presidente argentina Cristina Kirchner. Embora o título tenha sido corrigido rapidamente, isso levanta questões sobre o discurso político na Internet. A Wikipedia, recurso enciclopédico preferido por muitos usuários, demonstrou diferenças no tratamento de figuras políticas, especialmente entre o macrismo e o kirchnerismo. Enquanto alguns perfis parecem ser apresentados sob uma luz positiva, outros são retratados de forma menos lisonjeira. O perfil da ex-presidente Cristina Kirchner na Wikipedia parece refletir a polarização política. Apesar de seu extenso conteúdo, há certos aspectos de seu mandato que não recebem a devida atenção, obscurecendo certos aspectos negativos de suas gestões. Da mesma forma, o tratamento da gestão de Mauricio Macri mostra vieses. Mesmo que seu governo tenha tentado algumas reformas econômicas significativas, estas são ignoradas ou distorcidas.

Não é apenas o perfil dos líderes que mostra um viés. Os perfis de seus funcionários também apresentam inclinações notáveis. Por exemplo, Emilio Basavilbaso é bastante criticado, enquanto Alejandro Vanoli é apresentado sob uma luz significativamente mais positiva. A capacidade da Wikipedia de permitir que qualquer usuário edite suas páginas é tanto sua força quanto sua fraqueza. Embora isso permita ampla colaboração e atualização em tempo real, também abre a porta para possíveis vieses e desinformação. Embora a Wikipedia sustente que informações incorretas são corrigidas rapidamente devido à extensa supervisão da comunidade, na prática, isso nem sempre parece ser o caso, especialmente em temas polarizados.

Uma reportagem do jornal Clarín já havia destacado diferenças no tratamento de figuras políticas e outras personalidades na Wikipedia, sugerindo que aqueles com afinidades kirchneristas poderiam estar mais ativos na plataforma. A neutralidade e precisão são essenciais para qualquer recurso enciclopédico. Embora a Wikipedia tenha revolucionado a forma como acessamos informações, os usuários devem ser cautelosos e críticos ao interpretar as informações, especialmente em temas tão carregados e polarizadores quanto política.

A controvérsia não se limita à Argentina, mas o país tem estado no centro do debate recentemente. A suposta parcialidade em artigos relacionados a figuras políticas e eventos atuais levou muitos a questionar a integridade e objetividade da plataforma. Alejandro Alfie, em seu artigo para o Clarín, afirmou que a Wikipedia é uma arena onde militantes políticos e profissionais pagos atuam como "editores voluntários" para reescrever perfis de líderes políticos argentinos. Essas alegações se baseiam na percepção de que certos artigos parecem favorecer ou prejudicar certos indivíduos ou facções políticas.

No entanto, Wikimedia Argentina, em resposta às críticas, esclareceu que a Wikipedia é uma plataforma aberta onde qualquer pessoa pode participar. Embora a neutralidade do conteúdo seja buscada, o fato de qualquer pessoa poder editar os artigos leva à representação de diferentes perspectivas. Esta pluralidade, argumentam, não deve ser confundida com falta de neutralidade. Além disso, a comunidade da Wikipedia trabalha ativamente para garantir a veracidade e objetividade da informação, apesar das inevitáveis controvérsias que surgem em temas polarizadores. O debate sobre objetividade em plataformas como a Wikipedia é complexo. Beatriz Busaniche, presidente da Fundação Vía Libre, argumenta que nenhum meio ou plataforma, incluindo a Wikipedia, pode reivindicar ser completamente objetivo, pois sempre haverá algum grau de viés. O importante, argumenta ela, é que as diferentes perspectivas sejam adequadamente representadas, e que os usuários se aproximem do conteúdo com uma mentalidade crítica e discernente.

Ver também

Notas

  1. a b c Dados de 20 de maio de 2024. Para mais informações consulte Wikipédia em outras línguas ou a página da Wikimedia Foundation List of Wikipedias (em inglês)
  2. Em algumas partes do mundo, o acesso à Wikipédia foi bloqueado.
  3. Para mais informações sobre a política de ponto de vista neutro na Wikipédia, mas apresentada de forma não enciclopédica, acesse Wikipédia:Princípio da imparcialidade.
  4. A Wikipédia em japonês, por exemplo, é conhecida por apagar cada menção de nomes reais de vítimas de certos crimes graves, mesmo que ainda possam ser notadas nas edições em outros idiomas.
  5. Para informações internas gerais sobre a qualidade dos artigos da Wikipédia em português, acesse Wikipédia:Avaliação de artigos. Já as páginas Wikipédia:Artigos destacados e Wikipédia:Esboço abordam especificamente o estágio mais desenvolvido e o mais inicial dos artigos, respectivamente.
  6. Os wikiprojetos da Wikipédia estão apresentados de forma não enciclopédica em Wikipédia:Projetos.
  7. O livro de estilo da Wikipédia em português está disponível em Wikipédia:Livro de estilo.
  8. Para mais detalhes dos princípios e regras da Wikipédia em português, confira em Wikipédia:Cinco pilares e Wikipédia:Políticas e recomendações.
  9. Estatísticas referentes à Wikipédia em inglês
  10. Mais informações em Wikipédia:Clones da Wikipédia.
  11. Mais informações em Wikipédia:Wikipedia-CD/Download.
  12. Mais informações em Wikipédia:O que a Wikipédia não é#A Wikipédia não é uma enciclopédia impressa.

Referências

  1. Jonathan Sidener. «Everyone's Encyclopedia». The San Diego Union-Tribune. Consultado em 15 de outubro de 2006 
  2. a b «Wikimedia Projects». Fundação Wikimedia (em inglês). Consultado em 13 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2022 
  3. a b Akemi Nitahara (14 de outubro de 2016). «Congresso Brasileiro de Wikipedia discute difusão do conhecimento». UOL notícias. Consultado em 13 de março de 2017. Cópia arquivada em 13 de março de 2017 
  4. Mike Miliard (1 de março de 2008). «Wikipediots: Who Are These Devoted, Even Obsessive Contributors to Wikipedia?». Salt Lake City Weekly. Consultado em 18 de dezembro de 2008 
  5. Wikimedia Foundation, Inc.. Sítio eletrônico oficial: http://wikimediafoundation.org
  6. Meta:Mission. Disponível em: https://meta.wikimedia.org/wiki/Mission
  7. Bill Tancer (1 de maio de 2007). «Look Who's Using Wikipedia». Time. Consultado em 1 de dezembro de 2007. O grande volume de conteúdo é parcialmente responsável pelo domínio do site como uma referência online. Quando comparado com o top 3.200 locais de referência educacional nos EUA, a Wikipedia é #1, capturando 24,3% de todas as visitas à categoria  cf. Bill Tancer (Global Manager, Hitwise), "Wikipedia, Search and School Homework" Arquivado em 25 de março de 2012, no Wayback Machine., Hitwise: An Experian Company (Blog), 01/03/2007. Acessado em 18/12/2008.
  8. Alex Woodson (8 de julho de 2007). «Wikipedia remains go-to site for online news». Reuters. Consultado em 16 de dezembro de 2007. Enciclopédia online Wikipedia tem adicionado cerca de 20 milhões de visitantes únicos mensais no ano passado, tornando-se um dos principais destinos online de notícias e informação, de acordo com a Nielsen//NetRatings. 
  9. a b Wikipedia's Evolving Impact, by Stuart West, slideshow presentation at TED2010
  10. Bortolazzo, Sandro; Marcon, Carla (2012). «Wikipédia? Quem nunca usou». Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul  A referência emprega parâmetros obsoletos |coautores= (ajuda)
  11. Grossman, Lev (13 de dezembro de 2006). «Time's Person of the Year: You». TIME. Time, Inc. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  12. Jonathan Dee (1 de julho de 2007). «All the News That's Fit to Print Out». The New York Times Magazine. Consultado em 1 de dezembro de 2007 
  13. Andrew Lih (16 de abril de 2004). «Wikipedia as Participatory Journalism: Reliable Sources? Metrics for Evaluating Collaborative Media as a News Resource» (PDF). Universidade do Texas. 5th International Symposium on Online Journalism. Consultado em 13 de outubro de 2007. Arquivado do original (PDF) em 29 de outubro de 2007 
  14. Witzleb, Normann (2009). Legal Education Review, ed. «Engaging with the World: Students of Comparative Law Write for Wikipedia» 1 e 2 ed. 19: 83–98 
  15. a b Larry Sanger, Why Wikipedia Must Jettison Its Anti-Elitism, Kuro5hin, 31 de dezembro de 2004.
  16. a b Danah Boyd (4 de janeiro de 2005). «Academia and Wikipedia». Many 2 Many: A Group Weblog on Social Software. Corante. Consultado em 18 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 21 de agosto de 2011. an expert on social media... a doctoral student in the School of Information at the University of California, Berkeley and a fellow at the Harvard University Berkman Center for Internet & Society  
  17. a b Simon Waldman (26 de outubro de 2004). «Who knows?». Guardian.co.uk. London. Consultado em 11 de fevereiro de 2007 
  18. a b Ahrens, Frank (9 de julho de 2006). «Death by Wikipedia: The Kenneth Lay Chronicles». The Washington Post. Consultado em 1 de novembro de 2006 
  19. a b Fernanda B. Viégas, Martin Wattenberg, and Kushal Dave (2004). «Studying Cooperation and Conflict between Authors with History Flow Visualizations» (PDF). Viena, Austria: ACM SIGCHI. Proceedings of the ACM Conference on Human Factors in Computing Systems (CHI): 575–582. ISBN 1-58113-702-8. doi:10.1145/985921.985953. Consultado em 24 de janeiro de 2007  !CS1 manut: Nomes múltiplos: lista de autores (link)
  20. a b c d Reid Priedhorsky, Jilin Chen, Shyong (Tony) K. Lam, Katherine Panciera, Loren Terveen, and John Riedl (GroupLens Research, Department of Computer Science and Engineering, University of Minnesota) (4 de novembro de 2007). «Creating, Destroying, and Restoring Value in Wikipedia» (PDF). Sanibel Island, Florida. Association for Computing Machinery GROUP '07 conference proceedings. Consultado em 13 de outubro de 2007. Arquivado do original (PDF) em 25 de outubro de 2007  !CS1 manut: Nomes múltiplos: lista de autores (link)
  21. a b c Jim Giles (dezembro de 2005). «Internet encyclopedias go head to head». Nature. 438 (7070): 900–901. Bibcode:2005Natur.438..900G. PMID 16355180. doi:10.1038/438900a The study (that was not in itself peer reviewed) was cited in several news articles, e.g.,* «Wikipedia survives research test». BBC News. BBC. 15 de dezembro de 2005 
  22. iG, ed. (19 de julho de 2011). «Facebook vai mal em pesquisa de satisfação - Wikipédia e Google recebem boas notas». Consultado em 23 de julho de 2011 
  23. Como eu comecei a Wikipedia, Larry Sanger apresentação
  24. Dicte Helmersson. «Wikipedia» (em sueco). Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 2 de novembro de 2023. av hawaiianska wiki ’snabb’ och engelska encyclopedia (do havaiano "wiki" - rápido - e do inglês "encyclopedia") 
  25. a b Kern, Vinícius Medina (2018). «A Wikipédia como fonte de informação de referência: avaliação e perspectivas». Scientific Electronic Library Online (SciELO). Perspectivas em Ciência da Informação. Escola de Ciência da Informação da UFMG. ISSN 1413-9936. doi:10.1590/1981-5344/3224. Consultado em 18 de janeiro de 2023. Resumo divulgativo 
  26. Andreas M. Kaplan, Haenlein Michael (2014) Collaborative projects (social media application): About Wikipedia, the free encyclopedia. Business Horizons, Volume 57 Issue 5, pp.617-626
  27. a b Richard M. Stallman (20 de junho de 2007). Free Software Foundation, ed. «The Free Encyclopedia Project». Consultado em 4 de janeiro de 2008 
  28. Jonathan Sidener (6 de dezembro de 2004). «Everyone's Encyclopedia». The San Diego Union-Tribune. Consultado em 15 de outubro de 2006 
  29. Meyers, Peter (20 de setembro de 2001). «Fact-Driven? Collegial? This Site Wants You». New York Times. The New York Times Company. Consultado em 22 de novembro de 2007.  "Eu posso começar um artigo que será composto de um parágrafo e depois um verdadeiro especialista vai vir e acrescentar três parágrafos e limpar o parágrafo escrito por mim", disse Larry Sanger em Las Vegas, que a Wikipedia foi fundada com o Sr. Wales. 
  30. a b c Sanger, Larry (18 de abril de 2005). «The Early History of Nupedia and Wikipedia: A Memoir». Slashdot. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  31. Sanger, Larry (17 de janeiro de 2001). «Wikipedia Is Up!». Consultado em 26 de dezembro de 2008. Cópia arquivada em 6 de maio de 2001 
  32. «Wikipedia-l: LinkBacks?». Consultado em 20 de fevereiro de 2007 
  33. Sanger, Larry (10 de janeiro de 2001). «Let's Make a Wiki». Internet Archive. Consultado em 26 de dezembro de 2008. Cópia arquivada em 14 de abril de 2003 
  34. «Wikipedia: HomePage». Consultado em 31 de março de 2001. Cópia arquivada em 31 de março de 2001 
  35. «Encyclopedias and Dictionaries». Encyclopædia Britannica, 15th ed. 18. Encyclopædia Britannica. 2007. pp. 257–286 
  36. « Enciclopedia Libre: msg#00008». Osdir. Consultado em 26 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 6 de outubro de 2008 
  37. Clay Shirky (28 de fevereiro de 2008). Here Comes Everybody: The Power of Organizing Without Organizations. : The Penguin Press via Amazon Online Reader. p. 273. ISBN 1-594201-53-6. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  38. «Google debuts knowledge project». BBC News. 15 de dezembro de 2007. Consultado em 13 de julho de 2010 
  39. Bobbie Johnson (12 de agosto de 2009). «Wikipedia approaches its limits». The Guardian. London. Consultado em 31 de março de 2010 
  40. «Wikipedia:Size of Wikipedia». Wikipedia (em inglês). 20 de novembro de 2022. Consultado em 22 de novembro de 2022 
  41. The Singularity is Not Near: Slowing Growth of Wikipedia (PDF). the International Symposium on Wikis. Orlando, Florida. 2009 
  42. Evgeny Morozov. «Edit This Page; Is it the end of Wikipedia». Boston review 
  43. Cohen, Noam (28 de março de 2009). «Wikipedia – Exploring Fact City». NYTimes.com. Consultado em 19 de abril de 2011 
  44. Jenny Kleeman (26 de novembro de 2009). «Wikipedia falling victim to a war of words». London: Guardian. Consultado em 31 de março de 2010 
  45. «Wikipedia: A quantitative analysis». Consultado em 7 de fevereiro de 2010. Arquivado do original (PDF) em 13 de abril de 2009 
  46. Volunteers Log Off as Wikipedia Ages, The Wall Street Journal, 27 de novembro de 2009. (em inglês)
  47. Barnett, Emma (26 de novembro de 2009). «Wikipedia's Jimmy Wales denies site is 'losing' thousands of volunteer editors». London: Telegraph. Consultado em 31 de março de 2010 
  48. «Wikipedia Breaks Into U.S. Top 10 Sites». PCWorld. 17 de fevereiro de 2007. Consultado em 19 de abril de 2011 
  49. «Google Ranks Top 13 Most Visited Sites On The Web». Huffington Post 
  50. «Ad Planner has been discontinued - Ad Planner Help». support.google.com 
  51. «UX and Usability Study». Usability.wikimedia.org. Consultado em 13 de julho de 2010 
  52. Birken, P. (14 de dezembro de 2008). «Bericht Gesichtete Versionen». Wikide-l (Lista de grupo de correio) (em German). Wikimedia Foundation. Consultado em 15 de fevereiro de 2009  !CS1 manut: Língua não reconhecida (link)
  53. «Wikimedia blog » Blog Archive » A quick update on Flagged Revisions». Consultado em 30 de agosto de 2009 
  54. «Wikipedia unlocks divisive pages for editing». BBC News (em inglês). 15 de junho de 2010. Consultado em 22 de novembro de 2022 
  55. a b Kleinz, Torsten (fevereiro de 2005). «World of Knowledge» (PDF). The Wikipedia Project. Linux Magazine. Consultado em 13 de julho de 2007. Estrutura aberta da Wikipedia faz dela um alvo para os trolls e vândalos que maldosamente adicionam informações incorretas aos artigos, ao mesmo tempo que outras pessoas se envolvem em discussões intermináveis e geralmente fazem de tudo para chamar a atenção para si. 
  56. Fernanda B. Viégas, Martin Wattenberg, Jesse Kriss, Frank van Ham (3 de janeiro de 2007). «Talk Before You Type: Coordination in Wikipedia» (PDF). Visual Communication Lab, IBM Research. Consultado em 27 de junho de 2008  !CS1 manut: Nomes múltiplos: lista de autores (link)
  57. «First Monday». First Monday. Consultado em 13 de julho de 2010. Arquivado do original em 6 de maio de 2012 
  58. Fernanda B. Viégas, Martin Wattenberg, and Matthew M. McKeon (22 de julho de 2007). «The Hidden Order of Wikipedia» (PDF). Visual Communication Lab, IBM Research. Consultado em 30 de outubro de 2007  !CS1 manut: Nomes múltiplos: lista de autores (link)
  59. Poderi, Giacomo, Wikipedia and the Featured Articles: How a Technological System Can Produce Best Quality Articles, (Master thesis), University of Maastricht, outubro de 2008.
  60. a b «Who's behind Wikipedia?». PC World. 6 de fevereiro de 2008. Consultado em 7 de fevereiro de 2008 
  61. Eric Haas (26 de outubro de 2007). «Will Unethical Editing Destroy Wikipedia's Credibility?». AlterNet.org. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  62. Hoffman, David A.; Mehra, Salil K. (2009). Emory Law Journal, ed. «Wikitruth through Wikiorder» (PDF) 1 ed. 59: 151–210. Consultado em 3 de agosto de 2012. Arquivado do original (PDF) em 7 de setembro de 2012  !CS1 manut: Nomes múltiplos: lista de autores (link)
  63. «Wikimedia community approves license migration». Wikimedia Foundation. Wikimedia Foundation. Consultado em 21 de maio de 2009 
  64. Walter Vermeir (2007). «Resolution:License update». Wikizine. Consultado em 4 de dezembro de 2007 
  65. «Wikipedia cleared in French defamation case». Reuters. 2 de novembro de 2007. Consultado em 2 de novembro de 2007 
  66. Anderson, Nate (2 de maio de 2008). «Dumb idea: suing Wikipedia for calling you "dumb"». Ars Technica. Consultado em 4 de maio de 2008 
  67. a b Guia do Estudante, ed. (20 de agosto de 2021). «USP promove atividades para ampliar participação na Wikipedia». Consultado em 12 de dezembro de 2021 
  68. With Bing Reference Arquivado em na Archive-It, Bing Community blog, 27 de julho de 2009
  69. Wikipedia to Add Meaning to Its Pages, Tom Simonite, Technology Review, 07/07/2010
  70. "Wikipedia on DVD Arquivado em 3 de junho de 2013, no Wayback Machine.." Linterweb. Accessed 2007-06-01. "Linterweb is authorized to make a commercial use of the Wikipedia trademark restricted to the selling of the Encyclopedia CDs and DVDs."
  71. "Wikipedia 0.5 Available on a CD-ROM Arquivado em 3 de maio de 2013, no Wayback Machine.." Wikipedia on DVD. Linterweb. Accessado em 01/06/2007. "The DVD or CD-ROM version 0.5 was commercially available for purchase."
  72. «CDPedia (Python Argentina)». Consultado em 7 de julho de 2011 
  73. «Wikipedia turned into book». Telegraph.co.uk. Londres: Telegraph Media Group. 16 de junho de 2009. Consultado em 8 de setembro de 2009. Cópia arquivada em 8 de setembro de 2009 
  74. Wikipedia Selection for Schools Arquivado em 4 de agosto de 2012, no Wayback Machine.. Acessado em 08/09/2009.
  75. Thiel, Thomas (27 de setembro de 2010). «Wikipedia und Amazon: Der Marketplace soll es richten». Faz.net (em alemão). Frankfurter Allgemeine Zeitung. Consultado em 6 de dezembro de 2010 
  76. Ajuda:Guia de consulta e reprodução/download
  77. «Data dumps - Meta». meta.wikimedia.org (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2022 
  78. a b Kittur, A., Chi, E. H., and Suh, B. 2009. What’s in Wikipedia? Mapping Topics and Conflict Using Socially Annotated Category Structure Arquivado em 13 de abril de 2016, no Wayback Machine. In Proceedings of the 27th international Conference on Human Factors in Computing Systems (Boston, MA, USA, April 04 – 09, 2009). CHI '09. ACM, New York, NY, 1509–1512.
  79. Sophie Taylor (5 de abril de 2008). «China allows access to English Wikipedia». Reuters. Consultado em 29 de julho de 2008 
  80. «Mapping the Geographies of Wikipedia Content». Mark Graham Oxford Internet Institute. ZeroGeography. Consultado em 16 de novembro de 2009. Arquivado do original em 8 de dezembro de 2009 
  81. «The battle for Wikipedia's soul». The Economist. 6 de março de 2008. Consultado em 7 de março de 2008 
  82. Douglas, Ian (10 de novembro de 2007). «Wikipedia: an online encyclopedia torn apart». Londres: Daily Telegraph. Consultado em 23 de novembro de 2010 
  83. Arthur, Charles (15 de dezembro de 2005). «Log on and join in, but beware the web cults». London: Guardian. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  84. Lu Stout, Kristie (4 de agosto de 2003). «Wikipedia: The know-it-all Web site». CNN. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  85. "Wikinfo (30 de março de 2005). «Critical views of Wikipedia». Consultado em 29 de janeiro de 2007. Arquivado do original em 1 de dezembro de 2010 
  86. Hafner, Kate (17 de junho de 2006). «Growing Wikipedia Refines Its 'Anyone Can Edit' Policy». New York Times. Consultado em 12 de julho de 2009 
  87. Corner, Stuart (18 de junho de 2006). «What's all the fuss about Wikipedia?». iT Wire. Consultado em 25 de março de 2007 
  88. Wilson, Chris (22 de fevereiro de 2008). «The Wisdom of the Chaperones». Slate. Consultado em 4 de março de 2008 
  89. Mehegan, David (13 de fevereiro de 2006). «Many contributors, common cause». The Boston Globe. Consultado em 25 de março de 2007 
  90. Jean Goodwin (2009). «The Authority of Wikipedia» (PDF). Consultado em 31 de janeiro de 2011. Arquivado do original (PDF) em 22 de novembro de 2009. O compromisso da Wikipédia com o anonimato/pseudonimato impõe, assim, uma espécie de agnosticismo epistemológico de seus leitores 
  91. Kittur, Aniket. «Power of the Few vs. Wisdom of the Crowd: Wikipedia and the Rise of the Bourgeoisie» (PDF). Consultado em 23 de fevereiro de 2008. Arquivado do original (PDF) em 21 de agosto de 2011 
  92. Swartz, Aaron (4 de setembro de 2006). «Raw Thought: Who Writes Wikipedia?». Consultado em 23 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 21 de agosto de 2011 
  93. «Wikipedia "Good Samaritans" Are on the Money». Scientific American. 19 de outubro de 2007. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  94. Andrea Ciffolilli, "Phantom authority, self-selective recruitment and retention of members in virtual communities: The case of Wikipedia," First Monday Dezembro de 2003.
  95. Zittrain, Jonathan (2008). The Future of the Internet and How to Stop It – Chapter 6: The Lessons of Wikipedia. : Yale University Press. ISBN 978-0300124873. Consultado em 26 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 16 de fevereiro de 2009 
  96. Amichai–Hamburger, Yair; Lamdan, Naama; Madiel, Rinat; Hayat, Tsahi (1 de dezembro de 2008). «Personality Characteristics of Wikipedia Members». CyberPsychology & Behavior (6): 679–681. ISSN 1094-9313. doi:10.1089/cpb.2007.0225. Consultado em 22 de novembro de 2022 
  97. «Wikipedians are 'closed' and 'disagreeable'». Newscientist.com. Consultado em 13 de julho de 2010 
  98. Jim Giles After the boom, is Wikipedia heading for bust? New Scientist 4 de agosto de 2009
  99. «Infoq.com». Infoq.com. Consultado em 13 de julho de 2010 
  100. Cohen, Noam (30 de janeiro de 2011). «Wikipedia Ponders Its Gender-Skewed Contributions». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  101. T Kriplean, I Beschastnikh; et al. (2008). «Articulations of wikiwork: uncovering valued work in Wikipedia through barnstars». Proceedings of the ACM. Articulations of wikiwork. 47 páginas. ISBN 9781605580074. doi:10.1145/1460563.1460573  !CS1 manut: Uso explícito de et al. (link)
  102. Panciera, Katherine; et al. (2009). Association for Computing Machinery, Proceedings of the ACM Conference on Supporting Group Work, ed. «Wikipedians Are Born, Not Made»: 51, 59  !CS1 manut: Uso explícito de et al. (link)
  103. Goldman, Eric. Journal on Telecommunications and High Technology Law, ed. «Wikipedia's Labor Squeeze and its Consequences». 8 
  104. Noveck, Beth Simone. Journal of Legal Education, ed. «Wikipedia and the Future of Legal Education». 57 
  105. Blodget, Henry (3 de janeiro de 2009). «Who The Hell Writes Wikipedia, Anyway?». Business Insider. Consultado em 23 de julho de 2011 
  106. Fernanda B. Viégas (3 de janeiro de 2007). «The visual side of Wikipedia» (PDF). Visual Communication Lab, IBM Research. Consultado em 30 de outubro de 2007 
  107. Jimmy Wales, "Wikipedia is an encyclopedia", March 8, 2005,<[email protected]>
  108. ESA (ed.). «Help:Interwiki_linking». Consultado em 12 de dezembro de 2021 
  109. «Revista Época. A enciclopédia pop (reportagem de capa em 23 de janeiro de 2006». Consultado em 23 de janeiro de 2006. Arquivado do original em 14 de junho de 2006 
  110. Site Família Cristã. «A Década da Wikipédia». Consultado em 31 de agosto de 2011 
  111. «Caslon.com». Caslon.com. Consultado em 13 de julho de 2010. Arquivado do original em 23 de abril de 2013 
  112. Robert McHenry (15 de novembro de 2004). «The Faith-Based Encyclopedia». TCS Daily. Consultado em 10 de setembro de 2009. Arquivado do original em 13 de junho de 2006 
  113. a b Seigenthaler, John (29 de novembro de 2005). «A False Wikipedia 'biography'». USA Today. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  114. Thomas L. Friedman The World is Flat, p. 124, Farrar, Straus & Giroux, 2007 ISBN 978-0-374-29278-2
  115. «Founder shares cautionary tale of libel in cyberspace By Brian J. Buchanan». Firstamendmentcenter.org. 30 de novembro de 2005. Consultado em 13 de julho de 2010 
  116. «Toward a New Compendium of Knowledge (longer version)». Citizendium.org. Consultado em 10 de outubro de 2006. Arquivado do original em 11 de outubro de 2006 
  117. Kane, Margaret (30 de janeiro de 2006). «Politicians notice Wikipedia». CNET. Consultado em 28 de janeiro de 2007 
  118. Bergstein, Brian (23 de janeiro de 2007). «Microsoft offers cash for Wikipedia edit». MSNBC. Consultado em 1 de fevereiro de 2007 
  119. a b Stephen Colbert (30 de julho de 2006). «Wikiality». Comedycentral.com. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  120. Hafner, Katie (19 de agosto de 2007). «Seeing Corporate Fingerprints From the Editing of Wikipedia». The New York Times. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  121. «HowStuffWorks "How the Wikipedia Scanner Works"». computer.howstuffworks.com. Consultado em 24 de fevereiro de 2011 
  122. «BBCBrasil.com | Reporter BBC | Site indica que CIA e Vaticano editaram Wikipedia». www.bbc.com. Consultado em 10 de julho de 2019 
  123. PAULO CELSO PEREIRA (8 de agosto de 2014). «Planalto altera perfil de jornalistas na Wikipédia com críticas e mentiras». O Globo. Consultado em 8 de agosto de 2014 
  124. a b c Wilson Ferreira (10 de agosto de 2014). «O "escândalo da Wikipédia" e a autofagia da Globo». Vermelho. Consultado em 11 de agosto de 2014 
  125. «Áudio da CBN com opinião de Mírian Leitão sobre a inocência de Daniel Dantas». CBN. Consultado em 11 de agosto de 2014 
  126. a b Miguel do Rosário (9 de agosto de 2014). «"Governo tucano difama Raul na Wikipédia». Vermelho. Consultado em 24 de agosto de 2014 
  127. a b c Roy Rosenzweig (junho de 2006). «Can History be Open Source? Wikipedia and the Future of the Past». The Journal of American History. 93 (1): 117–146. doi:10.2307/4486062. Consultado em 11 de agosto de 2006  (Center for History and New Media)
  128. Andrew Orlowski (18 de outubro de 2005). «Wikipedia founder admits to serious quality problems». The Register. Consultado em 30 de setembro de 2007 
  129. «Wikipedia cancer information accurate». UPI. 4 de junho de 2010. Consultado em 31 de dezembro de 2010 
  130. «Fact or fiction? Wikipedia's variety of contributors is not only a strength». The Economist. 10 de março de 2007. Consultado em 31 de dezembro de 2010 
  131. Public Information Research, Wikipedia Watch
  132. Raphel, JR. «The 15 Biggest Wikipedia Blunders». PC World. Consultado em 2 de setembro de 2009 
  133. Stacy Schiff (31 de julho de 2006). «Know It All». The New Yorker 
  134. Robert McHenry, "The Faith-Based Encyclopedia Arquivado em 7 de janeiro de 2006, no Wayback Machine.," Tech Central Station, 15 de novembro de 2004.
  135. «Wide World of Wikipedia». The Emory Wheel. 21 de abril de 2006. Consultado em 17 de outubro de 2007. Arquivado do original em 7 de novembro de 2007 
  136. Jaschik, Scott (26 de janeiro de 2007). «A Stand Against Wikipedia». Inside Higher Ed. Consultado em 27 de janeiro de 2007 
  137. Helm, Burt (14 de dezembro de 2005). «Wikipedia: "A Work in Progress"». BusinessWeek. Consultado em 29 de janeiro de 2007 
  138. Fatally Flawed: Refuting the recent study on encyclopedic accuracy by the journal Nature Encyclopædia Britannica, Inc., Março de 2006
  139. «Encyclopædia Britannica and Nature: a response» (PDF). Consultado em 13 de julho de 2010 
  140. Tyler Cowen (14 de março de 2008). «Cooked Books». The New Republic. Consultado em 26 de dezembro de 2008. Cópia arquivada em 18 de março de 2008 
  141. Child, Maxwell L.,"Professors Split on Wiki Debate", The Harvard Crimson, Monday, 26 de fevereiro de 2007.
  142. a b «Web threatens learning ethos». Times Higher Education (THE) (em inglês). 22 de junho de 2007. Consultado em 22 de novembro de 2022 
  143. Mark Bergman. «Wikimedia Architecture» (PDF). Wikimedia Foundation Inc. Consultado em 27 de junho de 2008. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2009 
  144. «Version: Installed extensions» 
  145. Michael Snow. «Lucene search: Internal search function returns to service». Wikimedia Foundation Inc. Consultado em 26 de fevereiro de 2009 
  146. Brion Vibber. « Lucene search». Consultado em 26 de fevereiro de 2009 
  147. «Extension:Lucene-search». Wikimedia Foundation Inc. Consultado em 31 de agosto de 2009 
  148. «mediawiki – Revision 55688: /branches/lucene-search-2.1/lib». Wikimedia Foundation Inc. Consultado em 31 de agosto de 2009 
  149. Weiss, Todd R. (9 de outubro de 2008). «Wikipedia simplifies IT infrastructure by moving to one Linux vendor». Computerworld. Consultado em 1 de novembro de 2008 
  150. Paul, Ryan (9 de outubro de 2008). «Wikipedia adopts Ubuntu for its server infrastructure». Ars Technica. Consultado em 1 de novembro de 2008 
  151. «Server roles at wikitech.wikimedia.org». Consultado em 8 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2013 
  152. "Pedidos mensais de estatísticas," Wikimedia. Acessado em 31/10/2008.
  153. Domas Mituzas. «Wikipedia: Site internals, configuration, code examples and management issues» (PDF). MySQL Users Conference 2007. Consultado em 27 de junho de 2008. Arquivado do original (PDF) em 28 de maio de 2008 
  154. Guido Urdaneta, Guillaume Pierre and Maarten van Steen. «Wikipedia Workload Analysis for Decentralized Hosting». Elsevier Computer Networks 53(11), pp. 1830–1845, Junho de 2009 
  155. «Wikimedia Mobile is Officially Launched». Wikimedia Technical Blog. 30 de junho de 2009. Consultado em 22 de julho de 2009 
  156. «Local Points Of Interest In Wikipedia». 15 de maio de 2011. Consultado em 15 de maio de 2011. Arquivado do original em 25 de abril de 2012 
  157. «iPhone Gems: Wikipedia Apps». 30 de novembro de 2008. Consultado em 22 de julho de 2008 
  158. «The amorality of Web 2.0». Rough Type. 3 de outubro de 2005. Consultado em 15 de julho de 2007 
  159. «Technical solutions: Wisdom of the crowds». Nature. Consultado em 10 de outubro de 2006 
  160. Jahangir, Ramsha (23 de abril de 2020). «Wikipedia breaks five-year record with high traffic in pandemic» . Dawn (em inglês). Consultado em 13 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 22 de novembro de 2021 
  161. «694 Million People Currently Use the Internet Worldwide According To comScore Networks». comScore. 4 de maio de 2006. Consultado em 16 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 30 de julho de 2008. Wikipedia has emerged as a site that continues to increase in popularity, both globally and in the U.S. 
  162. Petrilli, Michael J. «Wikipedia or Wickedpedia?». Hoover Institution. 8 (2). Consultado em 31 de agosto de 2008. Arquivado do original em 27 de março de 2008 
  163. «Google Traffic To Wikipedia up 166% Year over Year». Hitwise. 16 de fevereiro de 2007. Consultado em 22 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 21 de agosto de 2011 
  164. «Wikipedia and Academic Research». Hitwise. 17 de outubro de 2006. Consultado em 6 de fevereiro de 2008. Arquivado do original em 21 de agosto de 2011 
  165. Rainie, Lee; Tancer, Bill (15 de dezembro de 2007). «Wikipedia users» (PDF). Pew Internet & American Life Project. Pew Research Center. Consultado em 15 de dezembro de 2007. Arquivado do original (PDF) em 6 de março de 2008. 36% of online American adults consult Wikipedia. It is particularly popular with the well-educated and current college-age students. 
  166. Karbasfrooshan, Ashkan (26 de outubro de 2006). «What is Wikipedia.org's Valuation?». Consultado em 1 de dezembro de 2007 
  167. «Bourgeois et al. v. Peters et al.» (PDF). Consultado em 6 de fevereiro de 2007. Arquivado do original (PDF) em 3 de fevereiro de 2007 
  168. «Wikipedian Justice» (PDF). Consultado em 9 de junho de 2009 
  169. C-38 Government of Canada Site | Site du gouvernement du Canada Arquivado em 2 de junho de 2008, no Wayback Machine., LEGISINFO (28 de março de 2005)
  170. Arias, Martha L. (29 de janeiro de 2007). «Wikipedia: The Free Online Encyclopedia and its Use as Court Source». Internet Business Law Services. Consultado em 26 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 20 de maio de 2012  (the name "World Intellectual Property Office" should however read "World Intellectual Property Organization" in this source)
  171. Cohen, Noam (29 de janeiro de 2007). «Courts Turn to Wikipedia, but Selectively». The New York Times. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  172. Aftergood, Steven (21 de março de 2007). «The Wikipedia Factor in U.S. Intelligence». Federation of American Scientists Project on Government Secrecy. Consultado em 14 de abril de 2007 
  173. Butler, Declan (16 de dezembro de 2008). «Publish in Wikipedia or perish». Nature News. doi:10.1038/news.2008.1312 
  174. Shaw, Donna (Fevereiro–Março de 2008). «Wikipedia in the Newsroom». American Journalism Review. Consultado em 11 de fevereiro de 2008 
  175. Shizuoka newspaper plagiarized Wikipedia article, Japan News Review, 5 de julho de 2007
  176. "Express-News staffer resigns after plagiarism in column is discovered," San Antonio Express-News, 9 de janeiro de 2007.
  177. "Inquiry prompts reporter's dismissal," Honolulu Star-Bulletin, 13 de janeiro de 2007.
  178. BBC (ed.). «Radio 4 Documentary». Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  179. «Comunicato stampa. On. Franco Grillini. Wikipedia. Interrogazione a Rutelli. Con "diritto di panorama" promuovere arte e architettura contemporanea italiana. Rivedere con urgenza legge copyright». 12 de outubro de 2007. Consultado em 26 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 30 de março de 2009 
  180. Jose Antonio Vargas (17 de setembro de 2007). «On Wikipedia, Debating 2008 Hopefuls' Every Facet». The Washington Post. Consultado em 26 de dezembro de 2008 
  181. Pink, Dan (2009). «The puzzle of motivation - Dan Pink». TED Talks 
  182. «Wikipedia Celebrates 750 Years Of American Independence». The Onion. 2006. Consultado em 15 de outubro de 2006. Arquivado do original em 21 de agosto de 2011 
  183. Bakken, Janae. "My Number One Doctor"; Scrubs; ABC; 6 de dezembro de 2007
  184. Idolator. «Wikipedia Says "Move Over" To "30 Rock"-Inspired Jokesters». Consultado em 31 de agosto de 2011 
  185. «Uncyclopedia». uncyclopedia.ca 
  186. Diógenes Muniz (15 de setembro de 2006). «"Wikipédia do mal" escracha celebridades com humor». Folha Online. Consultado em 27 de maio de 2011 
  187. «UnMeta» (em inglês). Consultado em 27 de maio de 2011 
  188. «Interview With Nick Doody and Matt Kirshen». British Comedy Guide. Consultado em 31 de julho de 2009 
  189. «Professor Wikipedia – CollegeHumor Video». Collegehumor.com. 17 de novembro de 2009. Consultado em 19 de abril de 2011 
  190. "Trophy Box," Meta-Wiki (28 de março de 2005).
  191. «Webby Awards 2004». The International Academy of Digital Arts and Sciences. 2004. Consultado em 19 de junho de 2007. Arquivado do original em 22 de julho de 2011 
  192. Zumpano, Anthony (28 de janeiro de 2007). «Similar Search Results: Google Wins». Interbrand. Consultado em 29 de janeiro de 2007 
  193. «Die Quadriga – Award 2008». Consultado em 26 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 15 de setembro de 2008 
  194. «Erasmus Prize - Praemium Erasmianum». Praemium Erasmianum Foundation. Consultado em 15 de janeiro de 2015. Wikipedia receives the prize because it has promoted the dissemination of knowledge through a comprehensive and universally accessible encyclopaedia. 
  195. IT, Developed with webControl CMS by Intermark. «Wikipedia - Laureates - Princess of Asturias Awards». The Princess of Asturias Foundation (em inglês). Consultado em 22 de novembro de 2022 
  196. Website discussing the emulator of the Domesday Project User Interface for the data from the Community Disc (contributions from the general public); the site is currently out of action following the death of its creator
  197. «In Memoriam: September 11, 2001». Consultado em 6 de fevereiro de 2007. Arquivado do original em 6 de fevereiro de 2007 
  198. First edit to the wiki Arquivado em 29 de setembro de 2011, no Wayback Machine. In Memoriam: September 11 wiki (28 de outubro de 2002)
  199. "Our projects," Wikimedia Foundation. Acessado em 24 de janeiro de 2007
  200. commons:Commons:Welcome
  201. "Wikipedia Reference Desk," Acessado em 17 de fevereiro de 2010
  202. Frith, Holden (26 de março de 2007). «Wikipedia founder launches rival online encyclopedia». London: The Times. Consultado em 27 de junho de 2007. Wikipedia's de facto leader, Jimmy Wales, stood by the site's format. – Holden Frith. 
  203. Orlowski, Andrew (18 de setembro de 2006). «Wikipedia founder forks Wikipedia, More experts, less fiddling?». The Register. Consultado em 27 de junho de 2007. Larry Sanger describes the Citizendium project as a "progressive or gradual fork," with the major difference that experts have the final say over edits.  – Andrew Orlowski.
  204. Lyman, Jay (20 de setembro de 2006). «Wikipedia Co-Founder Planning New Expert-Authored Site». LinuxInsider. Consultado em 27 de junho de 2007 
  205. a b «Plagiarism by Wikipedia editors». Wikipedia Watch. 27 de outubro de 2006 
  206. Glyn Moody (13 de julho de 2006). «This time, it'll be a Wikipedia written by experts». The Guardian. Londres. Consultado em 28 de abril de 2007 
  207. «Wikipedia attacked over porn pages». Livenews.com.au. Consultado em 31 de março de 2010. Arquivado do original em 17 de setembro de 2008 
  208. a b c Maurício Grego (Junho de 2010). «Censuraram a Wikipedia?». São Paulo: Abril. Info Exame (292). 60 páginas. ISSN 1415-3270 
  209. Metz, Cade (7 de dezembro de 2008). «Brit ISPs censor Wikipedia over 'child porn' album cover». The Register. Consultado em 10 de maio de 2009 
  210. Raphael, JR (10 de dezembro de 2008). «Wikipedia Censorship Sparks Free Speech Debate». The Washington Post. Consultado em 10 de maio de 2009 
  211. Farrell, Nick (29 de abril de 2010). «Wikipedia denies child abuse allegations: Co-founder grassed the outfit to the FBI». The Inquirer. Consultado em 9 de outubro de 2010 
  212. Metz, Cade (9 de abril de 2010). «Wikifounder reports Wikiparent to FBI over 'child porn'». The Register. Consultado em 19 de abril de 2010 
  213. «Wikipedia blasts co-founder's accusations of child porn on website». The Economic Times. 29 de abril de 2010. Consultado em 29 de abril de 2010 
  214. a b «Wikipedia blasts talk of child porn at website». AFP. 28 de abril de 2010. Consultado em 29 de abril de 2010. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2012 
  215. «Wikimedia pornography row deepens as Wales cedes rights». BBC News. 10 de maio de 2010. Consultado em 19 de maio de 2010 
  216. Wikipedia's Hive Mind Administration Arquivado em no Portuguese Web Archive, 9 de novembro de 2005 (copy of original text at Google Blogoscoped)
  217. «Wikipedia Becomes Internet Force, Faces Crisis». Agence France-Presse. 11 de dezembro de 2005. Consultado em 26 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 6 de outubro de 2007 
  218. «Tron dispute». Wikipedia Signpost. Wikipedia. 16 de janeiro de 2006 
  219. Heise Online: "Court overturns temporary restraining order against Wikimedia Deutschland Arquivado em 8 de fevereiro de 2007, no Wayback Machine., by Torsten Kleinz, 9 de fevereiro de 2006.
  220. Wikinews. «Berlin court issues provisional order against the Wikimedia Foundation». Consultado em 31 de agosto de 2011 
  221. Paling, Emma (21 de outubro de 2015). «Wikipedia's Hostility to Women» . The Atlantic (em inglês). Consultado em 13 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 9 de junho de 2021 
  222. Auerbach, David (11 de dezembro de 2014). «Encyclopedia Frown» . Slate (em inglês). Consultado em 13 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2021 
  223. Murphy, Dan (1 de agosto de 2013). «In UK, rising chorus of outrage over online misogyny» . CSM (em inglês). Consultado em 13 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 1 de dezembro de 2021 
  224. Kueppers, Courtney (23 de março de 2020). «High Museum to host virtual Wikipedia edit-a-thon to boost entries about women» . The Atlanta Journal-Constitution (em inglês). Consultado em 13 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2021 
  225. Bear, Julia B.; Collier, Benjamin (4 de janeiro de 2016). «Where are the Women in Wikipedia? Understanding the Different Psychological Experiences of Men and Women in Wikipedia» . Springer Science. Sex Roles (em inglês). 74 (5–6): 254–265. doi:10.1007/s11199-015-0573-y. Consultado em 13 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 27 de outubro de 2021 
  226. meta:Press releases/Censorship of WP in the UK Dec 2008
  227. «Wikipedia é acusada de pornografia infantil e tem acesso restringido na Inglaterra». Diário do Pará. 7 de dezembro de 2008. Consultado em 7 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 5 de março de 2012 
  228. «Wikipedia é acusada de pornografia infantil e tem acesso restringido na Inglaterra». O Globo. 7 de dezembro de 2008. Consultado em 7 de dezembro de 2011 
  229. Wikimedia Foundation (2012–2013). «Dez anos de compartilhamento e aprendizado» (PDF) (em inglês). Consultado em 4 de junho de 2014  !CS1 manut: Formato data (link)
  230. «A Wikipedia golpista?». Cuba Periodistas. Consultado em 6 de fevereiro de 2010. Cópia arquivada em 20 de julho de 2011 
  231. «César Rendueles». www.circulobellasartes.com. Consultado em 13 de maio de 2017 
  232. «Quão confiável é a Wikipedia?». El Heraldo.co. Consultado em 3 de junho de 2014 
  233. «Contra as castas na Wikipedia». El Mundo. Consultado em 3 de junho de 2014 
  234. Serrano, Pascual (30 de junho de 2008). «A decisão de bloquear a Rebelión.org me pareceu um absurdo total; o que deveria ser neutro são os artigos da Wikipedia, não as fontes». pascualserrano.net. Consultado em 7 de fevereiro de 2011 
  235. Rodríguez Herrera, Daniel (11 de dezembro de 2005). «Aventuras na Wikipedia». Madri: Libertad Digital 
  236. Roberto Casado. «Como as empresas espanholas manipulam sua história na Wikipedia». Expansión. Consultado em 11 de fevereiro de 2013 
  237. «Wikipedia: uma década não apenas de glórias, mas também de dificuldades». enter.co. Consultado em 6 de fevereiro de 2010 
  238. Revista Ñ. «É a história de um amor, como não houve outro igual...». Clarín. Consultado em 15 de janeiro de 2010 
  239. Manuel Villas. «Wikipedia: tão útil quanto perversa». ABC.es. Consultado em 15 de janeiro de 2010 
  240. «Wikipedia, projeto de enciclopédia poliglota gratuito, comemora uma década de sucesso na web». Diario crítico de México. Consultado em 15 de janeiro de 2010 
  241. «Artigo da Wikipedia bloqueado no Reino Unido por ser considerado pornografia infantil». Diario Clarín. 8 de dezembro de 2008. Consultado em 19 de fevereiro de 2010 
  242. «Wikipedia erra em nove de cada dez artigos sobre saúde». Publímetro Perú. Consultado em 3 de junho de 2014 
  243. John Schwartz. «F.B.I., Desafiando o uso do seu emblema, recebe um primer sobre a lei». The New York Times. Consultado em 6 de março de 2010 
  244. Assouline et al. 2008, p. 12 e 13.
  245. Arias Maldonado, Manuel. Revista Libros, ed. «Planeta Wikipedia». Madrid 
  246. Mona Chalabi. FiveThirtyEight, ed. «Os 100 artigos mais editados da Wikipedia». Consultado em 3 de junho de 2014 
  247. a b c d e Destape, El (20 de maio de 2020). «Agora falta: La Nación afirma que Wikipedia é kirchnerista». www.eldestapeweb.com (em espanhol). Consultado em 9 de outubro de 2023 
  248. a b c d e «Wikipedia. A tendência pró-kirchnerista escondida na enciclopédia virtual». LA NACION (em espanhol). 20 de maio de 2020. Consultado em 9 de outubro de 2023 
  249. a b c «Kirchnerpedia? A militância dominou as definições políticas da Wikipedia». LA NACION (em espanhol). 22 de julho de 2021. Consultado em 9 de outubro de 2023 
  250. a b c «Wikipedia militante? Debate sobre os "vieses" na edição da enciclopédia online». Perfil (em espanhol). 6 de dezembro de 2019. Consultado em 9 de outubro de 2023 

Ligações externas